Livre pensar é só pensar!

Para não desligar os neurônios

Chora e, de preferência. corte os pulsos…

Publicado em 26/02/2014

REGIME FECHADO JÁ CAIU.
CHORA, BARBOSA, CHORA !

Barbosa tentou passar o trator sobre Barroso e não conseguiu

 O voto de Barroso indica que o regime fechado para Dirceu, Genoino e Delúbio foi para o saco.

Ainda está por definir se o crime de quadrilha cai ou não.

Mas o Ministro Teori deverá dizer que o crime, de quadrilha, se houve, está prescrito.

Ele já disse que as penas foram exacerbadas.

Enquanto votava, Barroso sofreu violento ataque de trator do presidente Joaquim Barbosa.

O presidencial comportamento indica cada vez mais a intenção de candidatar-se a senador por um partido de oposição no Rio de Janeiro.

O voto do Ministro Barroso não pôde contar com a ilustre presença do notável jurista Gilmar Dantas (*).

Sintomaticamente, ele se ausentou.

Talvez,  para estudar a demanda do inclito senador Demóstenes Torres.

Em tempo: Gilmar Dantas (*) foi embora. Por isso, a sessão de exéquias da “quadrilha” fica adiada para amanhã.

Gilmar manteve Dirceu um dia a mais em regime fechado !

No entanto, antes da sessão ser encerrada, os Ministros Cármen Lúcia, Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli adiantaram as suas posições e mantiveram os votos, dados na primeira fase do julgamento, pela absolvição dos  oito réus do crime de formação de quadrilha.
Paulo Henrique Amorim

(*) Clique aqui para ver como notável colonista da Globo Overseas Investment BV se referiu a Ele. E aqui para vercomo outra notável colonista da GloboNews e da CBN se referia a Ele. O Ataulfo Merval de Paiva  preferiu inovar. Cansado do antigo apelido, o imortal colonista decidiu chamá-lo de Gilmar Mentes. Esse Ataulfo é um jenio. OLuiz Fucks que o diga.

quinta-feira, 27 fevereiro, 2014 Posted by | Repassando... | , , | Deixe um comentário

Quixote em depressão…

Hoje, eu acordei melancólico. Não com saudades do que fui, mas com a tristeza e receio do que eu, provavelmente, não poderei ser. Com a tristeza de olhar o ninho vazio do sabiá, na minha varanda, sentir que nunca mais o verei alimentar os filhotes que voaram e que nunca mais ouvirei seu cantos nas madrugadas. Com a melancolia de  quem está no leito de morte, sentindo que nunca mais terá tempo de falar do seu amor a quem deveria, ou ouvir dele as coisas que quase nunca foram ditas. Sem mais nem menos, no silêncio da madrugada, esperando o amanhecer para ir ao sítio, senti a inutilidade do meu sonho de construir o recanto natural que talvez nunca veja produzindo e pleno de beleza. Olhando a barra do dia pela janela, escondido do frio em meus lençóis, senti a finitude das minhas madrugadas futuras me tocaiando no silêncio da noite. Senti a inutilidade do plantar que não verei produzir em maturidade, das árvores que não sombrearão minha velhice, das águas que não me banharão em fins de tarde. Senti aflorar na alma a angústia de já ser muito velho para alimentar sonhos longevos…
A Preta chorou lá embaixo a minha presença e fiquei a imaginar como será a sua vida sem mim, ou a minha vida sem ela e os seus ciumes…
Enfim, uma madrugada barra-pesada a chafurdar meu quixotismo atávico.

Não tenho filhos de natureza cabocla e suas vocações urbanas não lhes permitirá manter o sítio herdado. Tenho uma mulher urbana que indica a mesma dificuldade. E fico a imaginar as minha árvores sem meus familiares, sem meus netos, bisnetos e etc., esquecidas ou deitadas pelos interesses do mercado. E, provavelmente, morrerei antes que surja um neto rebelde que resolva ser um camponês.

Enfim, passei o resto da madrugada e do dia nesta melancolia, à espera de que Sancho e Dulcinéia voltem a sussurrar nos meus ouvidos:

“Sonhar
Mais um sonho impossível
Lutar
Quando é fácil ceder
Vencer o inimigo invencível
Negar quando a regra é vender
Sofrer a tortura implacável
Romper a incabível prisão
Voar num limite improvável
Tocar o inacessível chão
É minha lei, é minha questão
Virar esse mundo
Cravar esse chão
Não me importa saber
Se é terrível demais
Quantas guerras terei que vencer
Por um pouco de paz
E amanhã, se esse chão que eu beijei
For meu leito e perdão
Vou saber que valeu delirar
E morrer de paixão
E assim, seja lá como for
Vai ter fim a infinita aflição
E o mundo vai ver uma flor
Brotar do impossível chão.”

J. Darion – M. Leigh – Versão Chico Buarque e Ruy Guerra/1972
Para o musical para O Homem de La Mancha de Ruy Guerra

sábado, 22 fevereiro, 2014 Posted by | Comentário, Crônica | , , | Deixe um comentário

Eu nunca duvidei da existência de fomento oposicionista aos manifestos predatórios…

Publicado em 12/02/2014

ADVOGADO: ELES RECEBEM R$ 150 POR PROTESTO

Quem paga ?

Foto: Bruno Gonzalez / Agência O Globo

Saiu no Estadão, em comatoso estado:

ADVOGADO AFIRMA QUE JOVENS POBRES RECEBEM R$ 150 POR MANIFESTAÇÃO

Jonas Tadeu Nunes não especificou quem faz os pagamentos, mas acusou partidos políticos de envolvimento

RIO – O advogado Jonas Tadeu Nunes, que defende Caio Silva de Souza e Fábio Raposo, ambos indiciados pela morte do cinegrafista Santiago Andrade, disse, em entrevista à Globonews, que jovens de famílias pobres, como Caio, vêm recebendo R$ 150 para participar de cada uma das manifestações no centro da cidade. Ele não especificou quem faz os pagamentos, mas acusou partidos políticos de envolvimento.

Segundo Nunes, Souza não estava foragido e se apresentou à polícia – ele foi preso na Bahia, na madrugada desta quarta-feira, 12. Mais cedo, ele o classificou como um rapaz “idealista”, porém “manipulado”. “Esse menino foi convocado, aliciado para participar de manifestações. Esses jovens são remunerados para isso. Não estou eximindo ele de responsabilidade, mas esses jovens são municiados.”

(…)

Clique aqui para ler “Quem financia o Caio ?”

Aqui para “Beltrame sugere lei que zé não leu”

Aqui para “Rodrigo e a coreografia da Sininho”

E aqui para “Beltrame não precisou do zé e nem da PF. Suspeito preso”

quarta-feira, 12 fevereiro, 2014 Posted by | Repassando... | , , | Deixe um comentário

A TV emporcalhada, entrevistando a mal-lavada…

Publicado em 09/02/2014

Mulher de Pizzolato à Globo: cadê o DARF ?

E os R$ 50 milhões da Visanet à Globo ? Cadê o crime ?

Do Diário do Centro do Mundo:

Mulher de Pizzolato pergunta a jornalista da Globo onde está dinheiro da sonegação

A mulher de Henrique Pizzolato, Andrea Haas, visitou neste sábado o marido na prisão de Módena, próximo a Maranello. Na primeira tentativa, pela manhã, ela foi barrada por problemas burocráticos. Depois, numa segunda tentativa, conseguiu entrar.
Na saída, ao identificar a reportagem da TV Globo entre os jornalistas, ela interrompeu seu discurso. “A Globo recebeu R$ 5 milhões do fundo Visanet. Todos os documentos estão no processo. Ele está preso e vocês da Globo estão devendo dinheiro publico. Não pagaram imposto. Isso é vergonha. Mais de R$ 700 milhões”, disse. “Onde estão os R$ 700 milhões da Copa que vocês não pagaram impostos de renda. Onde?”
A TV Globo informou que não iria se pronunciar sobre o caso.
Saiba Mais: Estadão

segunda-feira, 10 fevereiro, 2014 Posted by | Repassando... | , , | Deixe um comentário

Lula, o que tem coragem para peitar os neo-coronéis deste país…

Lula ataca ministros do STF

estadao.com.br                        20 horas atrás                                    Por                 GUSTAVO PORTO E RICARDO GALHARDO                de estadao.com.br                   

Em Ribeirão Preto, ex-presidente fez defesa veemente do PT e de filiados condenados

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez em Ribeirão Preto (SP), uma defesa veemente do PT e dos filiados que foram presos após serem condenados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no escândalo do mensalão. “O nosso partido está sofrendo; temos companheiros presos, somos solidários e queremos justiça.” Lula ainda atacou, sem citá-los nominalmente, os ministros Gilmar Mendes e Joaquim Barbosa, do STF, por eles terem feitos declarações públicas sobre o processo após a condenação dos réus.

Em relação a Mendes, que declarou que doações feitas para o pagamento de multas de petistas condenados e presos poderiam ser fruto de lavagem de dinheiro, Lula disse que “o grande papel do ministro da Suprema Corte é falar nos autos do processo e não falar para a televisão o que ele pensa”, disse. “Se quer fazer política, que entre para um partido”, completou Lula, que participa do lançamento da “Caravana Horizonte Paulista”, marco do início da pré-campanha do ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha ao governo de São Paulo.

Para Barbosa, indicado por Lula ao STF, o petista comentou: “Quando você indica alguém, você está dando um emprego vitalício e o cidadão, quando quer fazer política, diga (…) não aceito ser ministro, vou ser deputado, entrar para um partido político e mostrar a cara”.

Lula cobrou julgamento justo, pediu que os eventuais culpados pagassem, “desde que haja provas”, e garantiu que “foi nosso partido que não deixou sujeira embaixo do tapete”. Lembrou até mesmo do ex-presidente da República e ex-prefeito de São Paulo Jânio Quadros, que tinha como símbolo uma vassoura. “São Paulo já teve candidato que andava com vassourinha para jogar sujeira embaixo do tapete, mas nós escancaramos a transparência no País”.

O ex-presidente classificou o PT como “um dos maiores partidos de esquerda do mundo, sem dogmas”, cujo compromisso, segundo ele, é ser ético e querer lutar para que as pessoas mais humildes conquistem cidadania. “Não fizemos tudo que poderíamos ter feito, mas vamos fazer ainda mais. Entendemos mais de povo que os tucanos e ninguém fez mais por esse País do que o Partido dos Trabalhadores”.

lulaApós comentar que se empenhará para reeleger a presidente Dilma Rousseff e dizer que dedicará mais tempo à política e às eleições, Lula rebateu as críticas da oposição e de analistas à política econômica e ao crescimento da dívida bruta do País.

“Querem o aumento do desemprego para baixar a inflação e agora falam em dívida bruta, que nunca foi utilizada no discurso. Estão incomodados porque o governo colocou dinheiro do tesouro do BNDES na Caixa Econômica e no Banco do Brasil”, afirmou. “O dia que o PT governar o Brasil e o Estado de São Paulo, a gente vai fazer muito mais que a gente já fez”, concluiu Lula, antes de elogiar Padilha e considerá-lo o mais bem preparado do partido para a disputa eleitoral no Estado.

veja também:

domingo, 9 fevereiro, 2014 Posted by | Repassando... | , , | Deixe um comentário

Será que o Pizzolato vai viabilizar o desmascaramento da farsa do julgamento do STF?

Publicado em 07/02/2014

Documentos inéditos rasgam o mensalão

Depois de desmoralizar a Globo – cadê o DARF, Ataulfo ? -, o Cafezinho faz o mesmo com o mensalão.

O Conversa Afiada reproduz importante denúncia do Miguel do Rosário:

Inédito! Os documentos que derrubam o mensalão!

A Ação Penal 470 é um festival de erros, desde a acusação da Procuradoria, que é inepta, até as sentenças, que impuseram penalidades ridiculamente exageradas e multas desproporcionais. No entanto, o erro mais grotesco, porque vai na contramão de uma quantidade incrível de documentos, é o caso Visanet.
Os romances policiais americanos tem aquele ditado: follow the money. Isso vale para tanto para encontrar um crime, como para desmascarar uma farsa. A questão central do mensalão é o suposto desvio de recursos do Banco do Brasil, sem a realização de nenhum serviço publicitário, por determinação individual de um petista.
Observem: em apenas uma frase, há três mentiras, que os documentos abaixo comprovam.
1 – O dinheiro não era do Banco do Brasil, e sim da Visanet, empresa 100% privada. 2 – Não houve desvio, os serviços foram realizados. 3 – Os pagamentos a DNA não foram feitos por determinação de um petista solitário. A decisão cabia a um gestor, que não era Henrique Pizzolato.
Agora acusam Pizzolato de cometer uma fraude, que é usar o passaporte de um irmão falecido. Fraude sim, de um homem desesperado, que não queria se submeter a maior fraude jurídica da história brasileira.
O Cafezinho publica, em primeira mão, um documento inédito, que pode causar uma reviravolta no julgamento da Ação Penal 470.
Trata-se de uma “Ata Notarial”, lavrada em cartório do Rio de Janeiro, trazendo informações e documentos oficiais que aniquilam as teses centrais da acusação da AP 470.
A Ata poderá ser traduzida e enviada à Itália, para o julgamento que se avizinha naquele país.
Além da Ata, publicamos trechos de documentos – citados e anexados na Ata  –  nos quais os erros do julgamento se sobressaem com mais evidência.
*
















sexta-feira, 7 fevereiro, 2014 Posted by | Repassando... | , | Deixe um comentário

Porque o Barbosa não processa os seus “caluniadores”? Porque o julgamento de instância única?

Publicado em 04/02/2014

João Paulo desafia Barbosa ao se entregar

Eles achavam que o julgamento de exceção ia descer redondo

Sugestão do “Terror do Nordeste”

O Conversa Afiada reproduz do site do PT carta aberta de João Paulo Cunha:

Carta aberta à sociedade brasileira, em defesa da verdade e da justiça

João Paulo Cunha (*)
O Julgamento da Ação Penal 470, muito mais do que um procedimento jurídico foi um show midiático.  Caracterizou-se pela exaustiva espetacularização de uma farsa chamada mensalão. Um caso político usado levianamente pela oposição e pelos setores conservadores da grande imprensa para atacar o PT e seus líderes. Crimes eleitorais foram tratados na esfera penal, e as condenações foram abusivas, sem provas e, também, como no meu caso, contra a farta produção de provas que confirmam a minha inocência. A democracia brasileira foi vilipendiada com um julgamento político, que para mim resultou numa sentença injusta e juridicamente equivocada. E o direito legal, de todo réu, ao duplo grau de jurisdição foi desconsiderado.

O Estado de democrático de Direito foi desrespeitado quando se limitou o direito à ampla defesa e quando se submeteu os réus a uma exposição permanente de ataques midiáticos contra a sua honra e integridade moral. Assim, como esse julgamento,  em suas várias fases, desprezou as garantias legais e constitucionais, não surpreende que os réus comecem a cumprir a sentença mesmo tendo ainda o direito a um novo julgamento para cabíveis e legítimos embargos infringentes, como no meu caso. Apesar do desrespeito à legislação vigente ao longo deste processo, vou seguir a lei e me entregar para cumprir a injusta e absurda pena a que fui sentenciado. Continuarei lutando, em defesa da verdade e da justiça, para que este julgamento seja revisto. Encerrada a fase de embargos, minha defesa solicitará a revisão criminal de todo o processo, de modo a garantir um novo e imparcial julgamento.
Reafirmo que sou inocente e não cometi os crimes pelos quais nem sequer deveria ter sido levado a julgamento, pois apresentei farto volume de provas testemunhais e documentais que confirmam que não cometi nenhum ato ilícito. Mantenho a determinação de provar minha inocência, em fóruns jurídicos nacionais ou internacionais, se assim for necessário.
Assegurei e provei que não houve desvios de recursos públicos da Câmara dos Deputados, com a aprovação da licitação e da execução do contrato de publicidade pelo plenário do Tribunal de Contas da União (TCU), pela Polícia Federal e por auditoria oficial da Câmara. Minha gestão na Presidência da Câmara, no biênio 2003-2004 foi marcada pela democracia e transparência dos atos administrativos, com a divulgação na internet, pela primeira vez, de todos os contratos firmados.
Estou no meu quinto mandato de deputado federal, fui deputado estadual e vereador. Em trinta anos de atuação parlamentar jamais respondi a nenhum processo.  Enfrentarei esta dura travessia de maneira serena e de cabeça erguida, pois sei que nada fiz de errado. Buscarei força e coragem na trajetória política de um mandato verdadeiramente democrático e popular, em que milhares de companheiras e companheiros militam a favor dos direitos humanos e da inclusão social.
Moro na periferia de Osasco há 50 anos. Tenho minhas mãos limpas. Na minha vida nada foi fácil. Trabalho desde minha infância. Engraxei sapatos, vendi sorvete, trabalhei na feira, em loja e fui metalúrgico. Assumi meu compromisso com os pobres e trabalhadores a partir do mundo do trabalho e da dura realidade da vida. Não fiz da fortuna razão de minha vida, e as injúrias, calúnias e humilhações que tenho sofrido não me abatem, pois tatuei em minha alma o lema do grande Dom Pedro Casaldáliga  ” Minhas causas valem mais do que minha vida “.
A primeira determinação de minha prisão, no dia 6 de janeiro, foi mais um momento revelador da postura autoritária que marcou a conduta do relator da AP 470 durante todo o processo. Ele negou meus recursos sem ouvir a posição da Procuradoria Geral da República que, nesta mesma fase processual, já se manifestou sobre outros idênticos embargos infringentes de outros réus.  Requeridos, neste contexto, também para os casos de votação a favor do réu inferior a quatro votos.
O relator, nos últimos minutos do expediente de seu derradeiro dia de plantão, declarou o trânsito em julgado fatiado de meu caso e determinou o início do cumprimento da minha sentença. Descumprindo as normas processuais, que estão longe de ser meras formalidades, não oficiou à Câmara dos Deputados, não providenciou a carta de sentença para a Vara de Execuções Penais, não assinou o mandado de prisão e simplesmente saiu de férias.
Esses fatos evidenciam que o relator agiu naquele momento de maneira açodada visando garantir que as manchetes dos jornais e TVs, do dia 7 de janeiro, fossem dedicadas a mais um deputado que mandou prender. E não sobre a situação caótica no presídio de Pedrinhas e nas ruas de São Luís, no Maranhão. Uma dura realidade que, na condição de presidente também do CNJ, buscou ocultar. O que conseguiu apenas por um dia, já que a crise do sistema penitenciário e da segurança no Maranhão é muito grave e dominou a pauta jornalística brasileira no mês de janeiro. Outra possível explicação para essa conduta errática estaria na possibilidade do relator buscar faturar politicamente sobre minha prisão duas  vezes.
O relator da AP 470 condenou-me por peculato e não definiu onde, como e quanto desviei. Anexei ao processo  a execução total do contrato, provando a lisura dos gastos, real por real.  Ficará devendo essa explicação por que nunca conseguirá provar nada, pois jamais pratiquei desvios de recursos públicos. Condenou-me por lavagem de dinheiro sem fundamentação nos fatos, nas provas e na lei.  Condenou-me por corrupção passiva com base em um ato administrativo que assinei por dever de ofício. Ato administrativo idêntico foi assinado pelo presidente da Câmara dos Deputados que me antecedeu, sem que o relator tenha feito qualquer questionamento ou reparo.
A verdade, que a grande imprensa finge não existir, é que o relator não segue as normas vigentes e age como se fosse o todo poderoso que estaria acima da lei. E se algo não sair como quer, ele pressiona e consegue trocar um juiz da Vara de Execuções Penais, como já fez nesse processo. Típica postura antidemocrática, que não respeita a opinião divergente, como já provou inúmeras vezes ao agredir verbalmente, de maneira destemperada, os ministros do STF que ousam confrontar sua opinião e conduta.  Um espetáculo deprimente que o relator protagoniza, ao vivo e em cores, com sádico prazer.
Não temo enfrentar, se for necessário, um novo julgamento na Câmara dos Deputados. Deste caso, já fui absolvido pelo plenário da Casa e nas urnas, em duas eleições, em disputas (2006 e 2010) marcadas pelo uso deslavado e leviano do chamado mensalão contra o PT. Nos pleitos eleitorais sempre estimulei o debate e dialoguei com a população, esclarecendo todos os fatos. Portanto, os mais de 255 mil eleitores que em 2010, pela segunda vez seguida, me elegeram o deputado federal mais votado do PT no Estado de São Paulo, fizeram-no de maneira consciente, informados e convencidos de que jamais me envolvi em ilegalidades.
Não fugirei de minhas responsabilidades nessa decisiva quadra da história nacional, em que se vivencia a judicialização da política e se assiste ao aviltamento dos princípios que estão na base do Estado de Direito Democrático. Em defesa das prerrogativas constitucionais que garantem as competências do Poder Legislativo para decidir sobre os mandatos de seus membros, estou preparado para o legítimo julgamento do plenário da Câmara dos Deputados. Onde provarei, novamente, que não pratiquei nenhuma irregularidade, sendo inocente em relação aos crimes dos que sou acusado.
Sei que a injustiça contra mim não é a primeira e não será a última que se comete na história. A humanidade já viu Dreyfus ser equivocadamente condenado. E os irmãos Naves serem torturados e condenados com o apoio da mídia e da maioria da população. Mesmo condenado injustamente mantenho a cabeça erguida e a serenidade dos que sabem que são inocentes e fizeram na vida a opção correta, ficando ao lado da grande maioria do povo sofrido da Senzala, enquanto muitos poderosos, alguns togados, escolhem servir à elite minoritária da Casa-Grande.
Ao longo do julgamento da AP 470, por diversas vezes, o devido processo legal e o legítimo e amplo direito de defesa foram desrespeitados por uma condução autoritária da presidência e relatoria, que reproduziu e sustentou, praticamente na íntegra, a frágil peça acusatória da PGR. Contribuindo diretamente para fazer um julgamento que sem sustentação legal, desprezou fatos e provas e perpetrou inúmeras arbitrariedades.
A começar pela divulgação ao vivo das sessões do julgamento, expondo os réus à execração pública, em tempo real. Esse desserviço à justiça séria, imparcial e livre da pressão da opinião pública e da opinião publicada de uma grande mídia antipetista é uma aberração brasileira, não existindo em nenhuma das consolidadas democracias constitucionais em todo o mundo. Pelo contrário, nessas democracias o réu é preservado de pressões externas, sendo considerado inocente até prova em contrário, enquanto no caso da AP 470 os réus já estavam condenados muito antes de ocorrer o julgamento.
O fato é que cresce a cada dia o número de ministros, ex-ministros e juízes de todos os tribunais, advogados, estudiosos e pesquisadores que questionam a orientação jurídica e a conduta da presidência e da relatoria do STF, no julgamento da AP 470.  Quando assistimos, ao vivo, o amplo direito de defesa ser relegado e a difusão de uma extensa gama de mentiras. Como, por exemplo, a falsa informação de que teria existido compra de votos no Congresso Nacional. Ou a mentira deslavada de que o mensalão foi o maior caso de corrupção do país. Uma cantilena insustentável, quando se sabe que houve no Brasil dezenas e dezenas de casos de corrupção, com comprovados desvios de bilhões de reais.
Um poder judiciário autoritário e prepotente avilta o regime democrático. Um presidente do STF que trata um réu como se estivéssemos na Idade Média, tentando amordaçá-lo e desprezando provas robustas de sua inocência, presta um desserviço ao aperfeiçoamento das instituições democráticas do país. Um ministro do SFT deve obrigatoriamente guardar recato, não deve disputar a opinião pública e fazer política a partir de seu cargo. Deve ser isento e imparcial. Ter civilidade e cortesia.  Atributos que estão ausentes na postura e conduta do relator da AP 470.
Brasília, 4 de fevereiro de 2014. João Paulo Cunha Deputado Federal – PT/SP

terça-feira, 4 fevereiro, 2014 Posted by | Repassando... | , | Deixe um comentário

Cautela e caldo de galinha…

(Repassado pelo navegante Carlos Germer – SC)

Conselhos de uma DELEGADA

Mande para as mulheres para que se cuidem e para os homens, para que repassem para as suas mulheres, namoradas, irmãs, amigas, etc.
Conselhos dirigidos às mulheres, mas válidos aos homens também! Atenção nunca é demais! Devemos estar sempre atentas! A mulher que elaborou o conteúdo deste e-mail é Diretora de uma Empresa de Segurança no RJ e foi aconselhada por uma delegada após registrar um Boletim de Ocorrência.
1. Sequestro Relâmpago: se um dia você for jogada dentro do porta-malas de um carro. ENGULA O PÂNICO E RESPIRE FUNDO, CALMA E FRIEZA:
1) Chute os faróis traseiros até que eles saiam para fora, estique seu braço pelos buracos. 2) GESTICULE feito doida. O motorista não verá você, mas todo mundo verá. Isto já salvou muitas vidas.
2. Os três motivos pelos quais as mulheres são alvos fáceis para atos de violência são:
1) Falta de atenção: você TEM que estar consciente de onde você está e do que está acontecendo em volta de você. 2) Linguagem do corpo: mantenha sua cabeça erguida, e permaneça em posição ereta, jamais tenha uma postura “frágil”. 3) Lugar errado, hora errada: NÃO ande sozinha em ruas estreitas, nem dirija em bairros mal-afamados à noite.
3) NUNCA FAÇA ISSO!
1) NÃO FAÇA ISSO! As mulheres têm a tendência de entrar em seus carros depois de fazerem compras, refeições, e sentarem-se no carro (fazendo anotações em seus talões de cheques, ou escrevendo em alguma lista, ou ainda conferindo o ticket de compra). 2) O bandido SEMPRE estará observando você: essa é a oportunidade perfeita para ele entrar pelo lado do passageiro, colocar uma arma na sua cabeça, e dizer a você onde ir. 3) No momento em que você entrar em seu carro: trave as portas e vá embora, não fique ajeitando o cabelo, ou passando batom…
4) Algumas dicas acerca de entrar em seu carro num estacionamento ou numa garagem de estacionamento:
1) Esteja consciente: olhe ao redor, olhe dentro de seu carro, olhe no chão dianteiro e traseiro de seu carro, olhe no chão do lado do passageiro, e no banco de trás. 2) Se ao lado da porta do motorista do seu carro, estiver estacionada uma Van Grande: entre em seu carro pela porta do passageiro. IMPORTANTE: a maioria dos assassinos que matam em seqüência atacam suas vítimas empurrando-as ou puxando-as para dentro de suas Vans, na hora em que as mulheres estão tentando entrar em seus carros.
5) NUNCA deixe para procurar as chaves do seu carro, quando estiver parada em frente a porta dele.
1) Dirija-se ao veículo com a chave em punho, pronta para abrir a porta e dar a partida. Observe os carros ao lado do seu. 2) Se uma pessoa do sexo masculino estiver sentado sozinho no assento do carona do carro dele que FICA mais próximo do seu carro, você fará bem em voltar para o shopping, ou para o local de trabalho, e pedir a um segurança ou policial para acompanhar você até seu carro.
6) É SEMPRE MELHOR ESTAR A SALVO DO QUE ESTAR ARREPENDIDO, não tenha vergonha de pedir ajuda.
Use SEMPRE o elevador ao invés das escadas. (Escadarias são lugares horríveis para se estar só, são lugares perfeitos para um crime).
7) PARE COM ISSO! As mulheres, estão sempre procurando ser prestativas. Não use o celular a toa.
1) Essa característica poderá resultar em que você seja assassinada! Um assassino seqüencial, homem de boa aparência, com boa formação acadêmica, declarou em seu depoimento que SEMPRE explorava a simpatia e o espírito condescendente das mulheres. Ele andava com uma bengala ou mancava, e conseqüentemente pedia ‘ajuda’, para entrar ou sair de seu carro, e era nesse momento que ele raptava sua próxima vítima. 2) Durante o dia, ande de óculos escuros: o agressor nunca saberá para onde você esta olhando. 3) Celular: só em lugar seguro.
Gostaria que você encaminhasse este e-mail a todas as pessoas que você conhece. O mundo em que vivemos está cheio de gente má, vamos nos ajudar!

segunda-feira, 3 fevereiro, 2014 Posted by | Repassando... | , , | 1 Comentário

Será que cego têm preconceito contra cego, mesmo na esfera jurídica? Ê, Barbosinha…

 Publicado em 01/02/2014

Bomba ! Lewandowski defende advogada cega contra Barbosa

Deborah a Barbosa: o vento que venta lá venta aqui também.

Dra Deborah: o ministro JB tirou o meu trabalho

O Conversa Afiada republica informação enviada por amigo navegante fã incondicional do Presidente Barbosa. Veja o que diz o amigo navegante:
Amigo, veja que BOMBA pancada que a advogada cega dá em Barbosa: chama ele de cego, acaba com ele!
Chama JB de verdadeiro cego, que é o fim do mundo etc.
Barbosa negou o pedido da advogada e Lewandowski deferiu contra ato de JB.
Não deixe de ver o video. Ela disse “o ministro JB tirou o trabalho dela”.
BOMBA! Ela pede que Barbosa deixe de ver apenas o mensalão, pois se o ministro descumpre a lei para as pessoas cegas imagine o resto.
Abraços

O presidente em exercício do Supremo Federal, ministro Ricardo Lewandowski, concedeu, nesta sexta-feira (31/1), liminar em mandado de segurança proposto pela advogada cega Deborah Maria Prates Barbosa, contra ato do ministro Joaquim Barbosa, presidente do STF e do Conselho Nacional de Justiça, que negara pedido da advogada ao CNJ para que “fossem tomadas as providências cabíveis para a remoção de quaisquer barreiras que pudessem impedir e/ou dificultar o acesso das pessoas com deficiência aos bens e serviços de todos os integrantes do Poder Judiciário”.
Ela contestava a exigibilidade de peticionamento eletrônico como forma de acesso ao Judiciário, sem que os sistemas tenham sido elaborados com base nas normas internacionais de acessibilidade web, p que vinha impedindo o livre exercício da advocacia. O Lewandowski deferiu o pedido de liminar, a fim de “determinar ao CNJ que assegure à impetrante o direito de peticionar fisicamente em todos os órgãos do Poder Judiciário, a exemplo do que ocorre com os habeas corpus, até que o processo judicial eletrônico seja desenvolvido de acordo com os padrões internacionais de acessibilidade, sem prejuízo de melhor exame da questão pelo relator sorteado”.
http://www.stf.jus.br/arquivo/cms/noticiaNoticiaStf/anexo/MS32751.pdf

Clique aqui para ler sobre outra derrota acachapante do Supremo de Barbosa: “tribunal do júri condena julgamento do mensalão (o do PT).

domingo, 2 fevereiro, 2014 Posted by | Repassando... | , , | Deixe um comentário

Com as sobras, paguem mais umas diárias pro Barbosa voltar à Europa, falar sobre justiça…

Publicado em 02/02/2014

Doações: tribunal do júri condena o STF

O povo pôs a mão no bolso e jogou o dinheiro na cara do STF.

Genoino arrecadou o dobro do que o Supremo lhe impôs.
Delubio arrecadou o dobro.
O que sobrou é um bom começo para a campanha que beneficiará o Dirceu e o João Paulo.
Foi uma campanha realizada na internet, através dos instrumentos de um partido político, o PT.
Dependesse do PiG e da Big House, o Presidente Barbosa expropriaria a casa que o Genoino comprou no BNH para indenizar vítimas de perseguição, como alguns “morcegões” – clique aqui para ver na TV Afiada.
As doações foram feitas com identificação: com CPF.
São brasileiros de carne e osso, que existem, e que não operam via-cabo.
É tudo por dentro.
As doações se transformaram num fenômeno político de profunda dimensão.
O povo não concordou com a decisão do Supremo.
Organizou-se e submeteu o Supremo a um tribunal do júri.
E o tribunal do júri popular condenou o Supremo.
Simples assim !
Como se sabe, a Constituição  prevê que o tribunal do júri é soberano.
O papel do juiz é respeitá-lo.
Não adianta o PiG (*) e a Big House agora se estrebucharem.
O Globo, numa notável página 3 deste sábado, levante suspeitas sobre as contribuições – será que o Al Capone doou ao Delúbio ?
O Fernandinho Beira-Mar ? – pergunta-se o Globo, com outros exemplos.
Discussão bizarra: está tudo registrado – com DARF.
Com DARF ! – clique aqui para ver como é importante ter uma emissora de tevê.
Numa colona (**) da Folha (***), o grande estadista Eduardo Cunha, um dos varões da Moral do PMDB,  protagonista daquele celebre discurso do Garotinho na Câmara sobre a “Emenda Tio Patinhas”, na discussão da MP dos Portos, pois o Grande Estadista invoca argumentos interessantes.
As doações demonstram – diz o padrão da Moral peemedebista – a irremediável necessidade de as empresas – como a Santos Brasil e o Banco Oppportunity, por exemplo – fazerem doações a campanhas eleitorais.
Se não – segue o Ético raciocínio – só o PT vai ter dinheiro, porque só o PT consegue ir ao povo e realizar doações.
De fato, se, por algum descuido na penúltima instância, um dos Varões da Ética peemedebista caísse numa multa dessas, seria difícil mobilizar a população para lhes oferecer um tusta …
A reação da Big House e seus Varões é reveladora.
O tribunal do júri é soberano.
Condenou o Supremo.
Mostrou que, para a população, foi, sim, um julgamento de exceção, um Mentirão.
Enquanto os cheirosos tucanos escapam do mensalão tucano por conveniente prescrição.
No regime capitalista se faz Justiça também com dinheiro.
O tribunal do júri popular levantou o dobro do dinheiro e jogou na cara do STF.
Em tempo:
liga o Profeta Tirésias, impressionado com a fúria da Folha e do Globo contra os doadores. Disse o grande Profeta: “eles queriam expropriar a mansão do Genoino e que a Miruna fosse pra debaixo da ponte …”
Em tempo2:
não deixe de ir a “Fonteles: Ayres Britto ‘deitou’ no mensalão mineiro”: Ayres Brito, o Big Ben de Propriá, deitou sobre o mensalão tucano ! A sugestão é do amigo navegante João Connor, no face do C Af. O STF do mensalão (o do PT) enobrece a Justiça !
Paulo Henrique Amorim

(*) Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista.
(**) Não tem nada a ver com cólon. São os colonistas do PiG que combatem na milícia para derrubar o presidente Lula. E assim se comportarão sempre que um presidente no Brasil, no mundo e na Galáxia tiver origem no trabalho e, não, no capital. O Mino Carta costuma dizer que o Brasil é o único lugar do mundo em que jornalista chama patrão de colega. É esse pessoal aí.
(***) Folha é um jornal que não se deve deixar a avó ler, porque publica palavrões. Além disso, Folha é aquele jornal que entrevista Daniel Dantas DEPOIS de condenado e pergunta o que ele achou da investigação; da “ditabranda”; da ficha falsa da Dilma; que veste FHC com o manto de “bom caráter”, porque, depois de 18 anos, reconheceu um filho; que matou o Tuma e depois o ressuscitou; e que é o que é,  porque o dono é o que é; nos anos militares, a  Folha emprestava carros de reportagem aos torturadores.

domingo, 2 fevereiro, 2014 Posted by | Repassando... | , , | Deixe um comentário