Livre pensar é só pensar!

Para não desligar os neurônios

Aquecimento para desconfiar das pesquisas eleitorais que vêm por aí…

Publicado em 06/04/2014

Perguntinhas ao Datafalha e ao Globope

Sr. Editor-Chefe: essa pesquisa é para fazer a cabeça do eleitor ?

O NCPP – National Council on Public Polls -, dos Estados Unidos, preparou em 2004 um questionário com perguntas que um jornalista (sério) deve fazer sobre os resultados de pesquisas eleitorais.

Como se sabe, o Conversa Afiada não leva essas pesquisas do Datafalha e do Globope a sério.

Por motivos muito simples.

Porque são da Folha (*) e do sistema Globo.

Dois agentes do Golpe do PiG (**) e do envenenamento de governantes trabalhistas.

O Datafalha e o Globope erram mais do que o Cala a Boca, Galvão !

O outro motivo para desconfiar dos dois institutos é que eles têm no Brasil um peso político deliberadamente exagerado.

São instrumentos da Big House.

Para minar a credibilidade e a legitimidade dos governantes (trabalhistas).

É uma forma de substituir o voto.

Faz parte desse arsenal da Big House para suprimir a vontade popular: como o Supremo, a Globo Overseas, o parlamentarismo do Padim Pade Cerra e diária reencarnaçao do Principe da Privataria , que, como se sabe, não existe na vida real: é um espécime de zoologia fantástico do Borges (ou será do Kafka) ?

O Datafalha e o Globo fazem parte de cadeia de elos que constroem o Golpe: os jornais impressos (com circulação cada vez menor) pautam a Globo (com audiência cada vez menor), que pauta o Congresso (com representatividade cada vez menor).

O Congresso pauta a Folha, que pauta a Globo que pauta o Congresso …

Nessa sequência de elos cada vez mais frágeis, os instrumentos passam a ser estrategicamente vitais.

É assim ou o PSDB se torna um PFL !

E vai ter que subir ao palanque do Dudu, como fez o Inocêncio de Oliveira – http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/160086-em-pe-apoio-a-campos-une-velhas-raposas-da-politica.shtml, que esteve ao lado do Jarbas Vasconcelos, quando Dudu passou cargo ao vice, João Lyra.

(Já imaginaram se o Padilha, o Pimentel e a Dilma vencem ? O PSDB fica do tamanho da humildade do FHC.)

Dito isso, convém lembrar que, nos Estados Unidos, as pesquisas eleitorais numa campanha presidencial chegam, muitas vezes, a CEM !

Há, até, pesquisas das pesquisas: aquelas que ponderam e avaliam o resultado das CEM.

E, em nenhum lugar do mundo, pesquisa é manchete de jornal, como na Folha da Província de São Paulo.

(Como dizia o Brizola ao Fernando Lyra, seu vice em 1989: não adianta fazer campanha, Fernando. Eu não ganho do Ibope e da Globo juntos.)

Às perguntas que a CPP sugere:

– quem fez a pesquisa ?

– quem pagou ?

– quantas pessoas foram entrevistadas ?

– quantas foram selecionadas ?

– em que área – geográfica – ou grupo – professores, advogados, trabalhadores, Democratas, Republicanos, evangélicos, católicos, ricos, pobres – essas pessoas foram selecionadas ?;

– os resultados foram baseados em TODAS as respostas das pessoas selecionadas ?

– quem deveria ter sido entrevistado e não foi ?

– quando a pesquisa foi feita ?

– como a entrevista foi conduzida ?

– o que dizem as pesquisas na internet ?

– qual é a margem de erro ?

– quem vem na frente ?

– que outros fatores podem desvirtuar os resultados da pesquisa (a audiência da Globo, que “repercute” a pesquisa do Datafalha, por exemplo … – PHA)?

– que perguntas foram feitas ?

– e as pesquisas de perguntas já prontas ?

– o que dizem as outras pesquisas sobre esse mesmo tópico ? Dão resultados diferentes ? Se diferentes, por que ?

– e as pesquisas de boca de urna ?

– que informação faltou na reportagem sobre a pesquisa;

– está bem, fiz todas as perguntas e as respostas parecem razoáveis. Mesmo assim, deveria publicar o resultado ?

Sim, porque mesmo que a pesquisa seja muito bem feita, diz o NCPP, com uma amostra bem selecionada, pesquisas pré-eleitorais não significam que a eleição está resolvida. As coisas mudam e, muitas vezes dramaticamente – e, por isso, os candidatos continuam em campanha.

Pesquisas pré-eleitorais – e de boca de urna – erram !

(O Globo e a Datafalha são especialistas na matéria – PHA)

Navalha

Se o Brasil fosse uma Democracia e se o jornalismo não fosse a miséria que é, os editores da Folha e do Globo se perguntariam também:

SE PUBLICAR ESSA PESQUISA EU VOU INFLUENCIAR A DECISÃO DO ELEITOR ?

ESSA PESQUISA É UM ATO DE CAMPANHA ELEITORAL ?

Mas, como se sabe, o Brasil não é uma Democracia e o jornalismo é o que é.

Se a resposta for “sim” a essas duas perguntas, aí mesmo é que eles divulgam.

Clique aqui para ler “Lula e Dilma ganham no primeiro turno”.

Anúncios

segunda-feira, 7 abril, 2014 - Posted by | Repassando... | , , ,

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: