Livre pensar é só pensar!

Para não desligar os neurônios

O Boyzinho Bafômetro repete a estratégia das gangues de elite: o bate-boca agressivo!

Publicado em 16/10/2014

DataCaf Extra: machão do Leblon assustou as mulheres

A mulher de Classe C e D sabe qual o próximo passo do machão que diz “você está mentindo”…

Não são só as jovens louras, ricas e famosas do Arpoador, no Rio, que, muitas vezes temem apanhar do namorado machão.

O medo de apanhar do marido, do companheiro ou do namorado é muito mais agudo entre mulheres das Classes C e D – as vitimas preferenciais dos machões brasileiros.

Especialmente se eles bebem ou se drogam.

Elas são vitimas, frequentemente, da supremacia de maridos  que põem “o dinheiro em casa”.

Elas têm o pisca-pisca ligado para soar o alarme quando o machão, bêbado ou drogado, se manifesta.

Como se sabe, o DataCaf nada em dinheiro, ou melhor, no ouro de Havana, recolhido de pá no Porto de Mariel.

Por isso, o DataCaf montou uma pesquisa “quali”, ou “qualificada”.

Reuniu pessoas representativas das diversas regiões do país, homens e mulheres, de diversos graus de instrução e de renda.

Uma “amostra” como a de quem qualquer pesquisa de opinião, só que em lugar de responder a um questionário, os “entrevistados” comentam, ao vivo, o que estão vendo.

E esse DataCaf Extra se refere à quali realizada durante o debate quando a Dilma pôs os podres do Machão do Leblon na rua, no horário nobre do SBT, uma vez que ele não está acima de qualquer suspeita –  nem em São João del-Rey.

A pesquisa quali demonstra que as mulheres de Classe C e D se assustaram com a agressividade do Machão do Leblon.

Não só a agressividade, mas, também, o desrespeito.

Desrespeito uma mulher mais velha.

E a Presidenta da República do Brasil.

Que história é essa de que ela mente ?

Isso é muito sério.

Quando um homem diz a uma mulher que ela esta mentindo, a mulher já pressente qual será a  próxima acusação e qual será o próximo “argumento” dele …

O mais importante foi o medo que ele despertou.

O medo que infunde o homem que bate em mulher.

Aquela agressão – “no dia primeiro de janeiro você vai ter que procurar  emprego” – foi um tiro no pé.

Soou como uma agressão física.

Ou um tapa na cara.

Essas mulheres de Classe C e D muitas vezes acabaram de se profissionalizar, ou buscam o primeiro emprego.

Esse grupo – mulheres de Classe C e B, evangélicas – é especialmente estratégico para a Dilma.

(É o que o que se disse em “Evangélicas, bafometro e drogas”)

O Machão do Leblon errou caminho da festa.

Pensou que ia para o Arpoador e foi parar no Tunel Rebouças.

Paulo Henrique Amorim

Anúncios

sexta-feira, 17 outubro, 2014 - Posted by | Repassando... | , ,

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: