Livre pensar é só pensar!

Para não desligar os neurônios

Tá começando a aparecer bico de tucano no Petrolão… E agora, oposição “ilibada”?

Publicado em 21/11/2014

Lava Jato: Baiano chama FHC para dançar

Estava demorando

O Conversa Afiada reproduz do Estadão:

OPERADOR DO PMDB DIZ QUE COMEÇOU NEGÓCIOS NA PETROBRÁS NO GOVERNO FHC

Fernando Baiano disse à PF que em 2000 firmou contrato com estatal para manutenção de termelétricas

O empresário Fernando Antonio Falcão Soares, o Fernando Baiano, apontado como operador do PMDB no esquema de propinas e corrupção na Petrobrás, afirmou à Polícia Federal nesta sexta feira, 21, que começou a fazer negócios com a Petrobrás ainda no governo Fernando Henrique Cardoso, em 2001. “Por volta do ano de 2000, ainda durante a gestão Fernando Henrique celebrou um contrato com uma empresa espanhola, de nome Union Fenosa, visando a gestão de manutenção de termelétricas”. Segundo ele a empresa acabou sendo contratada.

A PF suspeita que o reduto de ação de Fernando Baiano na Petrobrás era a Área Internacional, que foi comandada por Nestor Cerveró, personagem emblemático da compra da Refinaria de Pasadena, nos EUA. Fernando Baiano disse que conheceu Cerveró “ainda no governo Fernando Henrique”. Na ocasião, segundo ele, Cerveró era gerente da Petrobrás.

(…)

Leia mais:

DIAS: ENFIM, CORRUPTORES NA CADEIA

DR. FREITAS UNE ITAÚ, LAVA JATO E … AÉCIO!

sábado, 22 novembro, 2014 Posted by | Repassando... | , , | Deixe um comentário

Ok! Ok, Coxinhas! Vocês venceram…

bomba

quinta-feira, 20 novembro, 2014 Posted by | Repassando... | , | Deixe um comentário

Botando os pingos nos “ii”…

Repassado pelo navegante Carlos Germer – SC (obrigado, amigo!)

Você, que é igual a mim: aos coxinhas, com carinho

Postado em 04 nov 2014

coxinhasEm meio a tantas discussões extremadas, com embates entre classes, cores e credos diferentes, nas quais o “nós” versus “eles” buscam realçar as divergências e afirmar superioridade, vou me dirigir aos iguais.

Você, que é igual a mim (a saber: branco, classe média – média alta talvez – paulistano, escolaridade superior, enfim, pertencente ao 1%), sai com a esposa e dois filhos para comerem uma pizza (uma!), cervejinha e refrigerantes, dificilmente receberá uma conta menor que R$ 170 e nem precisa ser num restaurante da moda.

Sabia você que R$ 170 é o valor médio mensal que recebem os beneficiários do Bolsa Família? Sim, o que você gasta em uma saidinha ordinária é o que uma família recebe de auxílio para um mês inteiro.

Você que é igual a mim, é atendido por garçons, frentistas, faxineiras e demais “serviçais” oriundos do nordeste, região que você tanto quer ver separada por um muro, sabia que o estado de São Paulo é que possui o segundo maior número de beneficiários do Bolsa Família? Já parou para pensar que talvez você não pague tão bem assim seus empregados? Sim, aqueles mesmos que você tanto torce o nariz para registrá-los em carteira.

Você sabia que toda essa “transferência de renda” para o Bolsa Família que tanto lhe agride emocionalmente representa 0,5% do PIB? Tem certeza de que você está “mais pobre” por conta disso?

Você que alega desvio de caráter dos beneficiários ao gerarem mais filhos visando receber “até mil reais” já parou para pensar que só a escola particular de um único filho seu custa bem mais que isso?

Em algum dos meios de comunicação pelos quais você se informa foi noticiado que segundo o Relatório Mundial da Saúde 2013, o Bolsa Família reduziu em 17% o índice de mortalidade infantil e que o programa foi responsável direto pela diminuição de 65% das mortes causadas por desnutrição e por 53% dos óbitos causados por diarreia em crianças menores de cinco anos? Isso não o sensibiliza?

Você, que enche a boca ao se dizer empreendedor e usa e abusa do clichê que “deve-se ensinar a pescar” ao criticar os programas sociais, já pensou o que seria de seu negócio se não houvesse um outro programa chamado Luz para Todos que levou energia elétrica para 15 milhões de pessoas? Sem poder assistir a comerciais como elas consumiriam os produtos de seu empreendedorismo? Tem certeza de que políticas sociais lhe desfavorecem tanto assim?

Você, que reclama tanto da mão-de-obra desqualificada mas não proporciona um salário que permita a seu funcionário investir em estudos, não vislumbra a qualificação através do Pronatec como algo positivo? Ou seu prazer é passar a vida reclamando e culpando o governo?

Você, que esteve vociferando nas redes sociais e talvez até mesmo tenha ido à avenida Paulista no último sábado demonstrando temor pela democracia e pedindo imprensa livre, o que pensa da perseguição sofrida por jornalistas da “mídia independente” após o último domingo? Aliás, se existe uma tal mídia independente, qual a conclusão sobre a mídia que você consome: em oposição ela é, portanto, dependente? De quem?

Você, que está morrendo de medo de um controle totalitário e acredita que o Marco Civil da internet tenha sido o primeiro passo para tal, sabe que a internet é e continuará livre exatamente em consequência dele? Certeza que sabe do que se trata?

Você, que assiste a TV Globo e a coloca no pedestal da lisura e da verdade, sabia que para evitar pagar impostos pela compra dos direitos de transmissão da Copa de 2002, a emissora simulou estar fazendo um negócio no exterior? A Receita Federal identificou o envio de R$ 549,4 milhões para essa finalidade. Não sabia? Como já disse Gilberto Gil: procure saber.

Você, que é leitor da Veja, tem conhecimento de que o governo Alckmin comprou e distribuiu 5.200 exemplares da revista nas escolas públicas? E que, somados a outras assinaturas de dois grandes jornais, torra R$ 3,8 milhões da educação com essas aquisições, tudo sem licitação? Essa é a imprensa livre? Independente? Isso não é alinhamento ideológico bolivariano?

Você que, do sofá, tanto criticou as manifestações que interrompiam o trânsito, esteve e apoiou esta que pedia o impeachment de Dilma? E se criticou tanto o vandalismo daquelas, o que pensa sobre Eduardo Bolsonaro estar com uma pistola na cintura enquanto discursava em cima do carro de som e dizer que, se tivesse chance, seu pai teria fuzilado Dilma?

Você, que está tão preocupado com uma possível ditadura comunista e se diz tão liberal, o que pensa sobre a recente derrubada do decreto que instituía o Sistema Nacional de Participação Popular sacramentada pelos deputados “liberais” dos partidos em que você vota? Irá cobrar isso deles? Você não quer participação popular?

Você que, assim como Diogo Mainardi, acredita que o governo faz uso dos programas sociais para arrebanhar votos nas regiões mais pobres, pensa da mesma forma quando governos adotam medidas que lhe favoreçam? Se seu bairro esteve livre do racionamento de água até agora, você se considera um eleitor comprado?

Você que, como eu, é bem nascido, bem criado, viajado, higiênico, que se considera esclarecido e tão bem informado, tem certeza de que procura conhecer os fatos através de mais de uma perspectiva antes de acusar os outros de desinformados e não é um alienado da realidade extra Moema/Jardins/Morumbi?

Você, que é igual a mim, não vê contradição entre seu discurso e suas ações? Nenhuma hipocrisia? Você, que tanto brigou com seus pais quando adolescente, ficaria ofendido de hoje ser classificado como neoconservador (termo por si só contraditório pois, se é neo não pode ser conservador), certo? Você que é igual a mim, não se envergonha?

(Acompanhe as publicações do DCM no Facebook. Curta aqui).

Sobre o Autor

Jornalista, escritor e fotógrafo nascido em São Paulo.

quinta-feira, 20 novembro, 2014 Posted by | Repassando... | , | Deixe um comentário

Tijolaço: a quem serve o segredo de Justiça ? | Conversa Afiada

Tijolaço: a quem serve o segredo de Justiça ? | Conversa Afiada.

quarta-feira, 19 novembro, 2014 Posted by | Repassando... | , | Deixe um comentário

Desemprego (4,7%) desaba. Renda bomba ! Chora, Aécio ! | Conversa Afiada

Desemprego (4,7%) desaba. Renda bomba ! Chora, Aécio ! | Conversa Afiada.

quarta-feira, 19 novembro, 2014 Posted by | Repassando... | , | Deixe um comentário

Ano Novo, política nova. Será?….

cunha

quarta-feira, 19 novembro, 2014 Posted by | Repassando... | , | Deixe um comentário

Primavera cinzenta na Arca de Noé…

ovelhaFim de tarde. Na varanda superior, o vento oeste substitui o calor de todo o dia e refresca tudo, aliviando a ausência prolongada das  chuvas de uma primavera cinza e poeirenta. Seca que tem transtornado os cultivos, provocado irrigações demasiadas e que um vazamento no açude do Benvirá agravou, me fazendo secar o lago, retirar precocemente os peixes e carregar água na camioneta para não deixar as plantas morrerem. Seca que me trouxe à mente e aos braços a lembrança das 110 latas d’água que, no Nordeste da minha infância, retirava diariamente do poço profundo para hidratar as vacas do meu pai. Seca que me fez reproduzir meu pai, namorando nuvens no horizonte e sofrendo ao vê-las distanciarem-se para vazar em outras terras. Mas nem tudo está perdido para quem luta, como dizia uma ovelha em meio a uma alcateia de lobos (o humor ajuda, gente).

Há pouco, entrei pelado no banheiro e, pelo acrílico transparente da chocadeira, os pintinhos me olhavam e piavam, como se eu fosse a mãe deles. Lavei-me sorrindo, imaginando o que eles estavam pensando. Resolvi lanchar e, na passagem pela varanda vi a Preta e o Num É, olhando-me e balançando amorosamente os rabos. No lance lateral, contemplei a pata choca com seus oito patinhos brincando no tanque vazio e abaixo, em uma bacia de água.  Desci as escadas, cheguei à garagem onde cinco pintinhos em crescimento na gaiola, dormiam a sono solto na fresca da tarde. Alimentei-me, aqueci leite acrescido de Calcigenol e vitaminas, levei Flor e Terra (as duas novas cachorrinhas do pedaço) para a varanda e as alimentei pela primeira vez. Coisa maravilhosa, vê-las bebendo leite na colherinha, elas que até hoje mamavam direto nas tetas da mãe. E como na grade do quintal, Preta e Num É estavam ouriçadíssimos com os novos hóspedes, deitei as duas novatas na caixa de papelão e chamei-os para dentro. Os dois vieram, cheiraram, cheiraram… E depois vieram pra perto de mim, em busca de afagos. Pronto, a apresentação estava feita.

Agora, contemplo o início da noite na varanda de cima, curtindo o vento e o sono das novatas ao meu lado e me preparando para o duro dia de amanhã. Mas tudo bem, como dizia a ovelha…

quinta-feira, 13 novembro, 2014 Posted by | Comentário, Crônica | , , , | Deixe um comentário

Lixo moral não ajuda, só polui…

eticaConcordo em gênero, número e grau com a excelente argumentação do teólogo e cientista social Leonardo Boff, que repasso a seguir. Apenas uma discordância sobre o seu pedido final para que os auto-exilados que ele conceitua fiquem para nos ajudar a construir um Brasil melhor. Ingenuidade sacerdotal, querido Leonardo… Lúcifer não ajudaria o Paraíso a ser melhor, assim como os Bush não ajudaram em nada a melhorar o Tio Sam, assim como o Titio não ajuda a melhorar o mundo. O maior bem que estes cujo perfil você delineou podem fazer é irem para bem longe, esquecer o Brasil ou, pelo menos, vociferar de longe, como os seus ídolos globalizados. Claro que há lá fora brasileiros que foram buscar oportunidades que aqui não tiveram, mas que amam o país e estes devem voltar, aceitar o seu convite. Agora, este lixo burguês que aí está, vociferando de todas as formas e execrando a população mais pobre que descobriu um caminho próprio para mudar suas vidas, deve mesmo é deixar o país (como prometeram durante a campanha) e se abrigarem no colo dos seus ídolos imperialistas.

De qualquer forma, o texto abaixo deve ser lido. Vale a pena…

Bom dia a todos…
___________________________________________________________________________

Via viomundo.com.br

Leonardo Boff: Para os da classe opulenta que estão falando em deixar o Brasil

publicado em 11 de novembro de 2014 às 13:48

despedida

Para os que querem deixar o Brasil

por Leonardo Boff, na Adital

É espantoso ler nos jornais e mensagens nas redes sociais e mesmo em inteiros youtubes a quantidade de pessoas, geralmente das classes altas ou os ditos “famosos” que lhes custa digerir a vitória eleitoral da reeleita Dilma Rousseff do PT.

Externam ódio e raiva, usando palavras tiradas da escatologia (não da teológica que trata dos fins últimos do ser humano e do universo) e da baixa pornografia para insultar o povo brasileiro, especialmente, os nordestinos.

Estas pessoas não vivem no Brasil, mas, em geral, no Leblon e em Ipanema ou nos Jardins da cidade de São Paulo onde se albergam: em sua maioria, os pertencentes às classes opulentas (aquelas 5 mil famílias que, segundo M.Porchmann, detém 43% do PIB nacional).

Muitas delas não se sentem povo brasileiro.

Externam até vergonha. Mas estão aqui porque neste país é mais fácil enricar, embora o desfrute mesmo é em feito em Miami, Nova York, Paris ou Londres, pois muitos deles têm lá casas ou apartamentos.

Alguns mais exacerbados, mas com parquíssima audiência, sugerem até separar o Brasil em dois: o sudeste rico de um lado e o resto (para eles, o resto mesmo) do outro, especialmente o Nordeste.

Acresce a isso o Parlamento brasileiro, a maioria eleita com muito dinheiro, que mal representa o povo.

Finge que escutou o clamor dos ruas em junho de 2013 demandando reformas, especialmente, na política, no sistema de educação e de saúde e uma melhor mobilidade urbana e não em último lugar a segurança e a transparência na coisa pública. Mas já esqueceu tudo.

Rejeitou o projeto do governo, no rescaldo da reeleição, que visava ordenar e dar mais espaço à participação dos movimentos sociais na condução da política nacional, respeitadas as instituições consagradas pela Constituição.

Tal fato nos remete ao que Darcy Ribeiro diz em seu esplêndido livro que deveria ser lido em todas as escolas, “O povo brasileiro: a formação e o sentido do Brasil”(1995).

Aí diz o grande antropólogo, indigenista, político e educador: “O ruim no Brasil e efetivo fator do atraso, é o modo de ordenação da sociedade, estruturada contra os interesses da população, desde sempre sangrada para servir a desígnios alheios e opostos aos seus… O que houve e há é uma minoria dominante, espantosamente eficaz na formulação e manutenção de seu próprio projeto de prosperidade, sempre pronta a esmagar qualquer ameaça de reforma da ordem social vigente”(p.446).

Esta afirmação nos concede entender porque a presidenta Dilma quer uma reforma política que não venha de cima, do Congresso, porque este sempre se oporá ao que possa contradizer os seus indecentes privilégios.

Deve partir de baixo, ouvindo os reclamos do povo brasileiro.

Quem aprendeu em 500 anos a sobreviver na pobreza senão na miséria, colheu muita experiência e sabedoria a ser testemunhada e repercutida na nova ordenação político-social do Brasil.

Ouvi de um sacerdote que viveu sempre na favela: “há um evangelho escondido no coração do povo humilde e importa que o leiamos e escutemos”.

Vale a mesma coisa para as várias reformas desejadas pela maioria da população: auscultar o que se aninha no coração do povo e dos invisíveis.

Podemos tolerar a arrogância e a resistência dos poderosos e dos parlamentares, o que não podemos é defraudar a esperança de todo um povo.

Ele não merece isso depois de tanto suor, sacrifícios e lágrimas.

Ele precisa voltar às ruas e renovar com mais contundência e ordenadamente o que irrompeu em junho do ano passado.

O feijão só cozinha bem em panela de pressão.

Da mesma forma, o parlamento abandona sua inércia quando é posto sob pressão, como se constatou no ano passado.

Voltemos a Darcy Ribeiro, um dos que melhor estudou e compreendeu a singularidade do povo brasileiro.

Uma coisa são os povos transplantados como nos USA, no Canadá e na Austrália. Eles reproduziram os moldes dos países europeus de onde vieram. No Brasil foi diferente.

Ocorreu uma das maiores miscigenações da história conhecida da humanidade. Vieram de 60 países diferentes. Misturaram-se entre si índios, afrodescendentes, europeus, árabes e orientais. Criaram um novo tipo de gente.

Diz Darcy: “o nosso desafio é de reinventar o humano, criando um novo gênero de gentes, diferentes de quantas haja”(p.447).

Diz mais: “olhando todas estas gentes e ouvindo-as é fácil perceber que são, de fato, uma nova romanidade, uma romanidade tardia mas melhor, porque lavada em sangue índio e sangue negro”(p.447).

Não me furto em citar estas palavras proféticas com as quais fecha seu livro O povo brasileiro: “O Brasil é já a maior das nações neolatinas… Estamos nos construindo na luta para florescer amanhã como uma nova civilização, mestiça, tropical, orgulhosa de si mesma. Mais alegre, porque mais sofrida. Melhor porque incorpora em si mesma mais humanidades. Mais generosa, porque aberta à convivência com todas as raças e todas as culturas e porque assentada na mais bela e luminosa província da Terra” (p.449).

Para os que querem sair do Brasil: fiquem nessa esplêndida Terra e ajudem-nos a construir esse sonho bom.

quinta-feira, 13 novembro, 2014 Posted by | Comentário, Repassando... | , , | Deixe um comentário

Mais uma joia do ódiojornalismo nacional…

Via viomundo.com.br

Dilma e a suíte do Catar: Como subir na vida em um dos jornalões brasileiros

publicado em 12 de novembro de 2014 às 21:22

Captura de Tela 2014-11-12 às 09.16.33

Da Redação

Para colaborar com jovens jornalistas em busca de emprego, analisaremos notícia publicada no Estadãodesta quarta-feira 12 de novembro, em página que trazia como manchete principal assunto relacionado à presidente Dilma Rousseff, que viajou para cúpula de chefes de Estado na Austrália.

Trata-se de uma aula em como sobreviver nas redações dos jornalões: a transformação de uma série de meias verdades numa “grande verdade” mentirosa.

Notícia real: o avião presidencial que leva Dilma Rousseff não tem autonomia para voar direto até a Austrália; o emir do Catar pediu ao Planalto que a escala no emirado fosse transformada em visita de Estado e bancou todas as despesas. O Catar não fica fora da rota. O Catar é o terceiro maior exportador de petróleo do mundo. O Catar é escala de centenas de vôos internacionais, todos os dias. Quem viajou para a Ásia sabe disso.

Porém, o leitor de manchetes fica intrigado: “Escala com hotel de luxo se torna visita de Estado”. Poxa, diz ele, essa Dilma não vale nada. Programou uma visita ao Catar só para se hospedar em hotel de luxo!

Isso é confirmado pelo subtítulo do texto: “Parada do avião de Dilma no Catar vira agenda oficial e justifica estada de presidente em suíte de R$ 30 mil por diária”.

Notaram o JUSTIFICA?

Escandaloso, diz o leitor. Vamos torrar 30 mil reais para a Dilma ficar em hotel de luxo numa escala desnecessária!

Pobre repórter que assinou o texto. Provavelmente o título e o subtítulo foram “envenenados” na redação. Colocaram o nome dela para segurar o rojão. Ossos do ofício.

O texto diz que Dilma vai “desfrutar de uma suíte de 720 metros quadrados, com serviço de mordomo”.

É preciso chegar à metade da notícia para ter uma informação essencial: “tudo pago pelo emirado”.

“O local tem dois andares, três quartos, três banheiros, sala de jantar com 10 lugares e salas de estar com janelas voltadas para o Golfo Pérsico”, continua o texto, depois de ter dito que Dilma e a filha Paula “devem” ficar hospedadas na suíte.

Só quando o texto se encaminha para o final é que aparecem duas outras informações essenciais: Dilma “vai aproveitar pouco desse luxo” e o avião não tem autonomia para voar direto.

Sim, pois se a presidente partiu do Catar às 18 horas e teve encontros durante o dia com o emir, tudo o que fez foi passar a noite na suíte.

Ficava ruim de dizer: Dilma dorme em suíte luxuosa paga pelo emir do Qatar, né mesmo?

Melhor deixar no ar a ideia de que a presidente torrou dinheiro do contribuinte num capricho desnecessário. É este veneno diário, em pequenas doses, que corrói a imagem de qualquer um.

Leia também:

Presidente da CUT entra no coro dos que rejeitam recessão

quinta-feira, 13 novembro, 2014 Posted by | Repassando... | , , | Deixe um comentário

E agora, como chamar o juiz “ofendido” pela agente da Lei Seca?

Em segunda instância, os colegas do juiz “ofendido” por uma agente de trânsito em blitz recente (ele é reincidente), condenaram a dita cuja a indenizar o juiz por ter dito que “juiz não é Deus.” Quer dizer: ele é Deus! Agora, teremos que moldar os nossos tratamentos à ilustre figura pelo seu novo perfil: Santíssimo? Sacrossanto? Diviníssimo? Outros que tais? Por favor, ajudem este blogueiro a encontrar o tratamento adequado à sagrada figura, pois se vacilar, poderei ser também processado e não terei dinheiro para pagar a multa…

quinta-feira, 13 novembro, 2014 Posted by | Comentário | , , | Deixe um comentário