Livre pensar é só pensar!

Para não desligar os neurônios

E assim se faz terrorismo político…

O golpismo e a última pesquisa Datafolha

Postado em 08 fev 2015

pesquisa-eleitoral-1

 

O impeachment é um processo que qualquer deputado pode pedir à Mesa da Câmara baseado em parecer jurídico? Sim. Porém, como o próprio Ives Gandra Martins reconheceu no parecer que fez sob encomenda de um dos diretores do Instituto FHC, publicado na Folha de S.Paulo e responsável por levar o tema novamente para o fogo alto, a conclusão é sempre muito mais política do que jurídica.

E é com essa perspectiva que todo um cenário favorável ao pedido da derrubada de Dilma se articula através de um golpe travestido de impeachment. É um golpe dado no tapetão. Se depois absolvido, como foi Collor, daí paciência. O objetivo terá sido alcançado.

Como se cria esse cenário, quem é o principal estimulador e proprietário do tapete? É complexo, mas o maior responsável é aquilo que se chama “grande mídia”.

Uma pesquisa divulgada neste domingo, revelou o estrago que a forma de informar praticada por esses oligopólios faz na cabeça do cidadão comum.

Segundo a pesquisa, 81% dos entrevistados acredita que a inflação irá subir. De onde vem essa percepção profética e catastrofista? Todo mundo agora é versado em economia e futurologia? Não. Quem fomenta esse clima de pessimismo é a grande mídia. A campanha alarmista da subida de taxas, tarifas e impostos é intensa, porém nem sempre verdadeira e completa.

O IPTU não iria subir para todos em São Paulo (só para uma minoria privilegiada ao passo que para outros haveria até redução) mas isso nunca era informado nos telejornais. Criar pânico é uma forma de terrorismo executado à perfeição por esses veículos. Vide os Datenas da vida e suas bem sucedidas carreiras.

Martelar o tema corrupção exaustivamente associando-o exclusivamente a um único partido e à estatal fazendo com que o problema seja visto, ao lado da saúde, como o que mais preocupa os brasileiros e que quase a metade (47%) das pessoas avaliem Dilma como “desonesta” sem haver ainda nenhuma prova de que ela seja mentora ou mesmo beneficiária é resultado dessa maquinação.

Não estou defendendo Dilma, o PT, ou alegando inocência total no caso. Há fortes indícios de que os desvios se confirmem. Mas a disparidade de tratamento é absurda e visivelmente manipuladora. A “formadora de opinião do brasileiro médio” tem veiculado obsessivamente apenas o que atinge a presidente. Nada se vê ou ouve acerca da Alstom, do cartel do metrô paulista, da irresponsabilidade na Sabesp. Neste último exemplo, a massa foi levada a acreditar que a culpa é da falta de chuvas.

Por tratar-se de um recurso natural e vital para a sobrevivência, penso que a maneira como governo do estado de São Paulo e a Sabesp trataram a questão da água deveria ser considerada crime contra a humanidade. Isso é muito mais sério e de consequências muito mais graves do que ficar noticiando que o dólar subiu, a bolsa de valores caiu, as ações X desvalorizaram. Quem tem esses investimentos? Que implicação isso tem na vida da imensa maioria? Nenhuma, só aduba o solo propiciamente ao que se quer plantar.

Ainda segundo a pesquisa, 60% dos paulistas concordam com a implantação do rodízio no abastecimento de água. Mas antes do povo acatar bovinamente e se submeter a mais um sacrifício, foi informado qual o percentual de água potável é destinada ao consumo direto e quanto é direcionada para o agronegócio, a indústria e a mineração? Ou preparou-se um terreno de modo a não causar uma revolta popular contra quem é do time da mídia?

Dirão que exagero, mas a chamada grande mídia exerce hoje um papel idêntico àquele que a igreja católica teve durante o fascismo na Italia. Deseja manter tudo como está de modo a ser a reconhecida como “religião única” e ganhar seu “estado” em forma de concessões.

Ela sente-se ameaçada pela possibilidade de uma regulação que irá minar sua força e por isso hoje articula a saída da atual governante. Ninguém quer perder o que já tem e é isso que é explorado através dessa prática. O povo sentir-se sob ameaça facilita que personagens como Mussolini se sobressaiam e ganhem voz.

Será portanto abastecido desse tipo de desinformação que muito provavelmente milhares de pessoas tomem as ruas no próximo dia 15 de março para pedir o impeachment de Dilma Roussef. A dúvida que fica é se querem entregar o posto a Michel Temer ou se nem pensaram sobre isso.

(Acompanhe as publicações do DCM no Facebook. Curta aqui).

Sobre o Autor

Jornalista, escritor e fotógrafo nascido em São Paulo.

terça-feira, 10 fevereiro, 2015 - Posted by | Repassando... | ,

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: