Livre pensar é só pensar!

Para não desligar os neurônios

Mais uma dos moralistas sem moral…

Agripino, paladino da moralidade, toma outro processo do Janot

demOlha o Nahas aí, de novo!
publicado 18/12/2015

Na Fel-lha:

Janot pede ao STF para abrir 3º inquérito contra Agripino Maia

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu nesta semana ao STF (Supremo Tribunal Federal) a abertura de mais um inquérito para investigar o presidente nacional do DEM, senador Agripino Maia (RN), por peculato qualificado e lavagem de dinheiro. Se for aceito, será a terceira investigação em curso contra o parlamentar.

O pedido é para investigar um possível funcionário fantasma, Victor Neves Wanderley, no gabinete de Agripino no Senado. A partir de 2009, Wanderley foi nomeado ao cargo de assessor parlamentar e, em datas próximas ao dia do pagamento, realizou saques em espécie e depósitos na conta de um primo de Agripino Maia, Raimundo Alves Maia Júnior –as informações foram obtidas por quebra de sigilo bancário.

De acordo com os registros do Senado, Wanderley ainda atua como assessor parlamentar de Agripino, lotado no “escritório de apoio do senador”. Seu salário-base atual é de R$ 7.415,57, segundo o registro de outubro deste ano. A primeira menção ao funcionário fantasma encontrada pela Folha no “Diário Oficial” é de março de 2009, quando Wanderley foi lotado no gabinete da liderança do Democratas. Ele também atuou no gabinete do senador José Bezerra (DEM-RN), ao menos em 2010.

sábado, 19 dezembro, 2015 Posted by | Repassando... | , | Deixe um comentário

Por favor, se manda, tucano togado…

gilmar.jpg

sábado, 19 dezembro, 2015 Posted by | Repassando... | | Deixe um comentário

Falta de aviso não foi…

dallari_.jpg

sexta-feira, 18 dezembro, 2015 Posted by | Repassando... | | Deixe um comentário

Loucura ou imbecilidade?

O manicômio em que se transformaram as manifestações pró-golpe.

Por Paulo Nogueira

eua1

O que passa pela cabeça desse cidadão?

Postado em 14 dez 2015

O que passa pela cabeça de um cidadão que veste uma jaqueta metade Brasil, metade Estados Unidos, e põe sobre a cabeça uma cartola que retrata a bandeira dos Estados Unidos?

Quando o fotógrafo Igor Verzola gentilmente me enviou fotos dos protestos de domingo na Paulista, foi naquele homem que me detive.

Para mim, ele é o símbolo dos manifestantes de São Paulo, a versão paulistana do Batman do Leblon.

Está na cara que ele não tem noção de nada, ou não se vestiria de uma forma tão grotesca.

Os vários vídeos que vi dos protestos pelo impeachment, e não falo apenas dos deste domingo, me deram a sensação de que parte do Brasil se transformou num imenso manicômio.

Você ouve as pessoas falando e se pergunta: em que planetas esses caras vivem? Já leram um livro? Onde será que eles se informam, ou melhor, de onde tiram os absurdos que reproduzem aos berros em sua ignorância entusiasmada?

Eles falam em comunismo num estado total de cegueira. Num vídeo, uma mulher de uns 40 anos afirmava, terminante, que já estamos numa ditadura comunista.

Ora, ora, ora.

Ela faz ideia do que aconteceria com ela caso, de fato, vivêssemos numa ditadura comunista? Quantos minutos ela sobreviveria na rua insultando histericamente um ditador comunista como o Stálin que aparecia no cartaz que segurava? Dez, quinze, vinte minutos?

Uma outra senhora bradava que os políticos têm que fazer o que o povo quer: derrubar Dilma. Pouco mais de um ano atrás, o povo elegeu democraticamente Dilma. Mas a senhora, transtornada, falava em nome do povo como se tivesse uma procuração de cada um de nós.

O único raio de sol num céu brutalmente cinzento veio do vídeo de um rásta que carregava um cartaz antigolpe na Paulista.

Cercado de manifestantes furiosos, ele explicava, sem erguer a voz, que estava ali defendendo não um partido, mas a democracia.

Clap, clap, clap. De pé.

Porque se trata disso, afinal: defender a democracia. Proteger 54 milhões de votos.

Perto dele, uma mulher gritava que a família de Lula tinha enriquecido. Aí você pode traçar a origem das pseudoinformações: a imprensa. A imprensa é mãe de boa parte das pessoas que pedem o impeachment.

Você observa o nível dos filhos da mídia pelos múltiplos vídeos que documentam as manifestações. São verdadeiros idiotas, mais que simplesmente analfabetos políticos.

Fora das ruas, você pode encontrá-los nas seções de comentários dos sites das grandes empresas jornalísticas. Neles, vomitam imbecilidades, preconceitos, xingamentos e uma descomunal, inexcedível burrice.

Do ponto de vista icônico, poucos superam o homem fantasiado de Brasil-Estados Unidos.

Qual é sua mensagem? Que o Brasil deveria tornar-se mais um estado americano? Que deveríamos trocar o português pelo inglês?

Não consigo, francamente não consigo imaginar um tipo destes num escritório trabalhando para ganhar o pão de uma família. Ou fazendo qualquer coisa minimamente racional.

Viramos um manicômio. Não totalmente, é verdade. O rásta que defendia solitariamente a democracia na avenida Paulista nos dá a esperança de que há ainda lucidez no Brasil — mas você dificilmente vai achá-la nas manifestações pelo golpe.

Paulo Nogueira
Sobre o Autor

O jornalista Paulo Nogueira é fundador e diretor editorial do site de notícias e análises Diário do Centro do Mundo.

quarta-feira, 16 dezembro, 2015 Posted by | Repassando... | | Deixe um comentário

Os sujos que querem sujar a bem lavada..,

quarta-feira, 16 dezembro, 2015 Posted by | Repassando... | | Deixe um comentário

Por quanto tempo ainda?

As certezas e as incertezas do caso Cunha.

Por Paulo Nogueira

cunhao

Morto-vivo

Postado em 15 dez 2015

Na imensa confusão que reina em Brasília com o mandato de apreensão em busca nas casas de Eduardo Cunha, há alguns fatos inegáveis.

O primeiro é que o dia foi péssimo, inegavelmente, para Eduardo Cunha. Numa única manhã, ele acordou com a PF em sua residência oficial e viu, poucas horas depois, ser aprovada na sua Câmara a continuidade do processo que deverá cassá-lo.

Quer mais?

Isto posto, vem o segundo fato. A esta altura, quanto pior a situação de Cunha, melhor a de Dilma.

Cunha é o motor, é a alma, é a cara do impeachment. Por mais que Aécio, FHC e demais golpistas tentem agora se livrar da imagem de sócios de Cunha, a sinistra aliança já ficou suficientemente exposta aos olhos dos brasileiros.

Coloque no Google Imagens as palavras Eduardo Cunha e Aécio e você verá múltiplas fotos dos dois companheiros, com o sorriso maligno de conspiradores.

Enfraquecido Cunha, murcham junto seus parceiros no crime de lesa democracia. É absolutamente impossível, agora, dissociar o processo de impeachment da figura odiosa de Eduardo Cunha.

Basta dizer isto: sem ele não teria sido aceito um pedido de impeachment tão brutalmente fajuto.

Temos então o seguinte: a campanha pela deposição de Dilma sofreu uma enorme derrota com a Operação Catilinárias.

Enfileirados os fatos, vamos agora às questões que emergem.

A mais importante é esta: por que se demorou tanto para um mandato de apreensão e busca nos domínios de Cunha?

Entre as provas acachapantes enviadas às autoridades brasileiras pelos suíços e a operação desta manhã transcorreu uma eternidade.

Livre, ele teve tempo suficiente para arremessar o país a uma crise política com terríveis consequências para a economia. Pessoas perderão o emprego, empresas quebrarão ou postergarão investimentos – tudo por conta da mão satânica de um gangster político sem nenhum limite.

Quem pagará por isso?

Num mundo menos imperfeito, a conta seria entregue a quem sustentou Cunha em sua louca cavalgada, a neo-UDN, o PSDB.

Cunha não se elegeria tão facilmente presidente da Câmara, com o propósito de infernizar Dilma e auferir lucros pessoais, se o PSDB tivesse tido a decência de lutar para impedir que um sujeito como ele chegasse ao terceiro posto mais importante da República.

Mas há tempos o único objetivo dos tucanos na política se resume ao clássico “quanto pior, melhor”. Não há vestígios de grandeza nas ações do PSDB.

O atraso monumental do ataque a Eduardo Cunha deu a ele tempo infinito para se livrar, com folga, de qualquer coisa comprometedora.

Um amigo me perguntou: o que a PF encontrou na casa dele? Minha resposta foi instantânea: sua mulher.

Para alguns, foi mais um indício de que ele não serve mais para as intenções golpistas da plutocracia. Dias atrás, editoriais do Globo e da Folha – com o mesmo atraso impressionante da Catilinárias – pediram a remoção de Cunha.

Ainda que isso seja em parte verdade, não elimina o fato que a ação tem um efeito simbólico: Eduardo Cunha é um morto vivo na política, um pária que conseguiu reunir o ódio, a repulsa de pessoas de petistas e antipetistas.

Tirá-lo da cena agora não fortalece os adeptos do golpe. Se este foi o objetivo, como alguns pensam, é um ato meramente de desespero.

Por que é tarde demais para desvincular a imagem de Cunha do golpe.

Cunha é o golpe, em toda a sua sordidez.

Paulo Nogueira
Sobre o Autor

O jornalista Paulo Nogueira é fundador e diretor editorial do site de notícias e análises Diário do Centro do Mundo.

quarta-feira, 16 dezembro, 2015 Posted by | Repassando... | | Deixe um comentário

O Olimpus político tucano…

 

pante]ao.jpg

quarta-feira, 16 dezembro, 2015 Posted by | Repassando... | | Deixe um comentário

Se ficar o bicho come, se correr o bicho pega…

uniaoEnquete

Quem é o maior moralista sem moral?

1. Cerra, do vinho na cara
2. Gilmar, do HC Canguru
3. FHC, chefe do Delcidio quando roubava na Petrobras
4. Aecim, cuja lua de mel foi paga por banqueiro bandido
5. Pauzinho do Dantas, quadrilheiro já condenado e ainda solto
6. Wellington Moreira Franco, amigo do Paulo Dote
7. Michel Temer, capitão do Porto de Santos
8. Todas as alternativas e inúmeras outras.

VOTE NO COMENTÁRIO

sábado, 12 dezembro, 2015 Posted by | Repassando... | , | Deixe um comentário

A calúnia tem passos diminutos…

Lula tira carne da boca do Otavím

A irresponsabilidade da Folha de S.Paulo não é nenhuma novidade
publicado 10/12/2015
bangu.jpg

No Instituto Lula:

Folha de S.Paulo volta a distorcer declaração de Lula

A Folha de S.Paulo tem o costume de distorcer e até inventar falas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Nesta quinta (10), fez isso mais uma vez, ao repercutir a entrevista que Lula deu ao jornal espanhol El País.

Agindo de má-fé, atribuiu ao ex-presidente uma fala que não existiu. Em nenhum momento, Lula afirmou que os pobres terão de deixar de comer carne para comer somente arroz durante a crise. A Folha distorceu um trecho da versão que leu (mal) em espanhol. Para deixar mais clara sua má-fé, o jornal escolheu a distorção como manchete de uma matéria que apenas toca superficialmente nos temas discutidos durante a conversa e deu a ela destaque na home do UOL.

No site em português do El País, a Folha poderia ter encontrado a transcrição do que foi dito, sem precisar recorrer à tradução criativa:

“São 12 anos em que houve o maior processo de mobilidade social da história de 500 anos desse país, em que nós dobramos o número de jovens nas universidades, e que o salário aumentou quase 74% em termos reais e foram 12 anos em que, foi um momento mais extraordinário de participação da sociedade na discussão das políticas públicas do governo. Você poderia perguntar para mim eles vão perder? Eu acho que não. Estamos passando por uma certa dificuldade, ou seja, nós passamos a comer carne quase todo dia, agora eu vou ficar um dia sem comer carne.”

A irresponsabilidade da Folha de S.Paulo não é nenhuma novidade, mas não deixa de ser lamentável.

A entrevista sem traduções criativas está no site do El País Brasil, em português e gratuitamente: http://brasil.elpais.com/brasil/2015/12/09/politica/1449698628_947345.html

A Folha de S.Paulo reconheceu que errou e publicou uma ressalva ao final do texto, além de ter mudado o título da matéria. Mas insistiu no erro de usar a matéria em espanhol como fonte e repetir o erro de citar incorretamente a fala do ex-presidente:http://www1.folha.uol.com.br/poder/2015/12/1717165-pobres-terao-que-comer-arroz-sem-carne-durante-crise-diz-lula.shtml

sexta-feira, 11 dezembro, 2015 Posted by | Repassando... | , | Deixe um comentário

Desculpem a dúvida do macaco, mas….

to bee2Repassado pela navegante Arlene Lopes Regis – BA

A Luta

E se Dilma tivesse 22 processos por corrupção, como Eduardo Cunha(PMDB)?

E se Dilma tivesse 18 processos por corrupção, como José Serra(PSDB)?

E se Dilma colocasse sob sigilo, por 25 anos, as contabilidades da Petrobras, Banco do Brasil e BNDES, como Geraldo Alkimin(PSDB) colocou as do Sistema Ferroviário paulista, das Sabesp e da Polícia Militar, após se iniciarem investigações da Polícia Federal, apontando desvios de muitos milhões?

E se Dilma tivesse comprado um apartamento no bairro mais nobre de Paris e, dividindo-se o valor do imóvel pelos seus rendimentos, se constatasse que ela teria que ter presidido este país por quase trezentos para tê-lo comprado, caso de FHC(PSDB)?

E se a filha da Dilma tivesse tido um único emprego, de assessora da mãe, e a revista Forbes a colocasse como detentora de um das maiores fortunas brasileiras, como no caso do Serra(PSDB) e sua filhinha?

E se Dilma tivesse dado dois Habeas Corpus, em menos de 48 horas, a um banqueiro que lesou o sistema financeiro nacional, para que ele fugisse do país; desse um Habeas Corpus a um médico que dopava a suas clientes e as estuprava (foram 37 as acusadoras), para que ele fugisse para o Líbano; se fizesse uso sistemático de aviões do senador cassado, por corrupção, Demóstenes Torres(Dem); se tivesse votado contra a Lei da Ficha Limpa por entender que tornar inelegível um ladrão é uma “atitude nazi-fascista”(sic), tendo a família envolvida em grilagem de terras indígenas, como Gilmar Mendes (Ministro do STF)?

E se Dilma tivesse sido denunciada seis vezes, por seis delatores diferentes, na operação Lava Jato, e fossem encontradas quatro contas suas, secretas, na Suíça, alimentadas por 23 outras contas, em paraísos fiscais, e o dinheiro tivesse sido bloqueado pelo Ministério público suíço, por entendê-lo fruto de fonte escusa, e tivesse mandado toda a documentação para o Brasil, com a assinatura dela, como aconteceu com Eduardo Cunha(PMDB)?

E se Dilma tivesse vendido uma estatal, avaliada em mais de 100 bilhões, por apenas 3,6 bilhões, como FHC(PSDB) fez com a Cia Vale do Rio Doce?
E se Dilma tivesse construído dois aeroportos, com dinheiro público, em fazendas da família, como fez Aécio Neves(PSDB)?

E se Dilma tivesse sido manchete de capa no New York Times, por suspeição de narcotráfico internacional, gerando diversas reportagens na televisão norte americana e agentes do DEA (Departamento Anti Drogas dos EUA) tivessem vindo ao Brasil para investigá-la e um helicóptero com quase meia tonelada de pasta de cocaína fosse apreendido em uma fazenda de um amigo pessoal e sócio dela como ocorreu com Aécio Neves(PSDB)?
E se Dilma estivesse na lista de Furnas, junto com FHC, Geraldo Alckmin, José Serra, Aécio Neves(todos do PSDB)… entre outros?

E se Dilma estivesse acusada de receber propinas da Petrobrás, como Aloysio Nunes(PSDB)?

E se Dilma estivesse sendo processada no STF, por ter recebido propinas da empreiteira OAS e ter achacado o Detran do seu estado, em 1 milhão de reais, como fez Agripino Maia(DEM)?

E se Dilma tivesse sido denunciada como beneficiária do contraventor Cachoeirinha, além de estar sendo processada, por exploração de trabalho escravo, em sua fazenda, como Ronaldo Caiado(DEM)?

E se Dilma estivesse sendo investigada na Operação Zelotes, por ter sonegado 1,8 milhão de reais e corrompido funcionários públicos, para que essa dívida sumisse do sistema da Receita Federal, como Nardes(Conselheiro do TCU, ligado ao PSDB)?

E se a filha de Dilma fosse assessora do presidente da CPI da Petrobrás e lobista junto a Nardes, um conselheiro do TCU, e tivesse uma conta secreta no HSBC suíço, por onde passaram milhões de dólares, como Daniele Cunha, a filha de Eduardo Cunha(PMDB)?

E se Dilma tivesse sido presa em 2004, por fraude em licitação de grandes obras, no Amapá, e tivesse sido condenada por corrupção, evasão de divisas, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha, como Flexa Ribeiro(PSDB)?

E se Dilma, quando prefeita de Salvador, tivesse sumido com 166 milhões das obras do Metrô, como Antônio Imbassay(PSDB)?

E se Dilma tivesse sido governadora e, como tal, cassada, por conta de compra de votos na campanha eleitoral, corrupção e caixa dois. Como Cássio Cunha Lima(PSDB)?

E se Dilma, em sociedade com Mário Covas(PSDB) tivesse comprado uma enorme fazenda no município mineiro de Buritis, em pleno mandato, e recebesse um aeroporto de presente, construído gratuitamente, de uma empreiteira, constatando-se depois que foi essa empreiteira a que mais ganhou licitações no governo FHC(PSDB), sócio de Covas?

E se Dilma declarasse à Receita Federal e ao TRE ter um patrimônio de 1,5
milhão e a sua filha entrasse na justiça, reclamando os seus direitos sobre 16 milhões, só parte do seu patrimônio, como aconteceu com Álvaro Dias(PSDB)?

E se Dilma estivesse sendo acusada de ter recebido 250 mil de uma empreiteira, na Operação Lava Jato, como Carlos Sampaio(PSDB)?

E se Dilma fosse proprietária da maior rede de televisão do país, devendo quase um bilhão de impostos e mais dois bilhões no sistema financeiro, e tivesse o compromisso de proteger corruptos e derrubar a presidente, em troca do perdão da dívida com o fisco e financiamento do BNDES, para quitar as dívidas da empresa, como ocorreu no passado, caso dos irmãos Marinho, proprietários da Rede Globo de Televisão?

Certamente Dilma, investigada noite e dia, em todas as instâncias, sem um indiciamento, sem sequer evidências de crimes, no dizer do promotor da Lava Jato e de um dos advogados dos réus, “uma mulher honrada”, não estaria com os citados pedindo o seu impeachment.

O seu crime? Chegou o dia de pagar os carentes do Bolsa família e o tesouro não tinha dinheiro. A Caixa Econômica Federal pagou e recebeu três dias depois. Isto é pedalada e por isso todos os citados acima a querem fora do governo.

Porque é desonesta ou porque é um risco para os desonestos?

Para apressar a tramitação dos processos em curso ou para arquivá-los?”

Texto escrito por Francisco Costa
______________________________
PS: a imagem acima foi inserida por este blogueiro.

sexta-feira, 11 dezembro, 2015 Posted by | Repassando... | | Deixe um comentário