Livre pensar é só pensar!

Para não desligar os neurônios

Dengue: que tal a beleza para combater o mosquito?

Às vezes, os poderes públicos locais nos surpreendem com atitudes sócio-ambientais interessantes. No interior de São Paulo, duas prefeituras estão adotando uma forma nova de combate ao mosquito transmissor da Dengue (Aedes Egiptys): o controle biológico do inseto através do cultivo da Crotalária Juncea. Esta planta é uma leguminosa, geralmente usada para adubação verde e controle de nematóides nos solos e que atrai as libélulas, insetos voadores que se alimentam das larvas e adultos do Aedes Egiptys. Com isso, pode-se ampliar o controle sobre a transmissão da Dengue, pelo controle do inseto transmissor. Claro que o uso da Crotalária não dispensa os cuidados de cada morador com o seu ambiente doméstico e do governo local com os espaços públicos, mas é uma ajuda importante e ambientalmente adequada. E além disso, nos fornece a beleza das flores e das libélulas (vejam fotos) nos nossos jardins, vasos e quintais. Que tal embarcar nesta? As sementes são encontradas nas lojas de insumos agrícolas, assim como as informações de plantio.

Leiam a reportagem abaixo e se empolguem…

___________________________

Libélulas vão combater mosquito da dengue em SP

Seg, 22 Mar, 08h02

A Prefeitura de São José do Rio Preto, a 440 quilômetros de São Paulo, começa a combater a dengue com libélulas. Neste fim de semana, cerca de 300 mudas da planta crotalária juncea foram distribuídas para moradores interessados em participar da campanha para reduzir a incidência do mosquito Aedes aegypti na cidade. A ideia é que as flores atraiam as libélulas, que se alimentam das larvas e do mosquito adulto do Aedes.

As mudas estão sendo distribuídas para a população por uma equipe de 850 agentes que trabalham no mutirão para combater a doença. Além disso, a Prefeitura vai plantar as crotalárias nas praças e canteiros de avenidas, pois elas também servem para fertilizar o solo. Os técnicos da Prefeitura esperam que em dois meses já seja possível verificar uma possível redução da incidência do mosquito e consequentemente dos casos de dengue.

Mais cauteloso, o prefeito Valdomiro Lopes (PSB) diz que o uso da planta é um teste no combate à epidemia, que contaminou mais de sete mil pessoas no município somente em 2010. Além de São José da Rio Preto, outra cidade da região, Monte Aprazível, adotou a planta no final do ano passado. Em 2010, a cidade contabilizou 11 casos de dengue.

______________________________________

PS em 26/05/2010: Como as pessoas têm solicitado maiores informações sobre o cultivo da Crotalarea, pesquisei e informo, para cultivo em jardins e quintais:
1. Plante em covas, de 50 cm entre uma e outra, em local ensolarado.
2. Colocar 2 sementes por cova, a 2 cm de profundidade.
3. Cuide da planta como faz geralmente com as outras plantas do seu jardim.
4. A planta floresce cerca de 90 a 120 dias depois de plantada.
5. Se ingerida por aves e/ou animais herbívoros, a planta pode gerar toxidez cumulativa.
6. Maiores informações nos revendedores da semente ou na NET, via Googles.

Anúncios

terça-feira, 23 março, 2010 Posted by | Comentário, Repassando... | , , , , | 40 Comentários

Dengue: que tal pescaria de larvas do mosquito?

Em função da ótica ambientalista contemporânea, mesmos na delicada área da saúde pública se está buscando cada vez mais alternativas de controle biológico das pragas e vetores de muitas doenças. E a Dengue é uma delas.  Já repassei aqui o uso da Crotalária Juncea para o controle do mosquito e até tratamento homeopático para as pessoas contaminadas. Ao ver ontem na TV (de vez em quando ela presta algum serviço social relevante) uma reportagem em que a população piauiense de Campo Maior e o governo local estão usando o peixinho que chamam de piaba nos reservatórios de água, por serem predadores das larvas de mosquito Aedes Aegypti (transmissor da Dengue), fui pesquisar o tema, para repassar a vocês. Lembrei-me da infância nordestina, onde era comum as pessoas, mesmo na cidade, colocarem peixinhos de diversos tipos para manterem a qualidade da água e dos reservatórios. E agora, em novos tempos, os métodos antigos são resgatados, demonstrando a força do saber popular e ironizando a modernidade tecnológica.

Mas, vamos deixar de saudosismo e  vamos ao que interessa…

Historicamente,  a resistência aos inseticidas químicos convencionais gerada pelo uso intensivo e irresponsável dos mesmos (além dos danos ambientais), levou alguns municípios a abolirem o uso destes produtos tóxicos e buscarem métodos alternativos para o controle de larvas do Aedes aegypti. E embora o controle biológico (através de inimigos naturais ou patóginos), seja limitado e de uso restrito, traz em si o poder da conservação ambiental, ocorrendo nos últimos anos uma crescente onda de estudos sobre espécies capazes de  auxiliar no controle de doenças como a dengue, a malária, a febre amarela e outras,.
Países de várias partes do mundo vêm pesquisando diversas alternativas de controle biológico, destacando-se entre elas os peixes, pela eficiência na predação de algumas espécies que se alimentam de larvas de mosquitos. Cerca de 250 espécies de peixes possuem potencial predador para a utilização como controle biológico de larvas de mosquitos. Para o controle de larvas de Aedes aegypti destacam as seguintes espécies:

Gambusia affinis: também conhecido como peixe mosquito ou gambúsia (de origem no continente americano), por causa de seu apetite voraz por larvas de mosquito. Como peixe ornamental, de aquário, é uma especie ovovivípara, resistente, de fácil reprodução, sendo um pouco mais agressiva que outras espécies da Família Poecilidae.
Poecilia vivipara: é o guaru, barrigudinho ou lebiste selvagem. Espécie vivípara, onívora e sem padrão de cor bem definido. É encontrado em todo o país e tem sido muito utilizado no controle de larvas de Aedes Aegypti, por se tratar de uma espécie resistente, dócil e extremamente prolífera. Suporta inclusive água poluída e com baixo teor de oxigênio.
Poecilia reticulata: Conhecido popularmente por guppy, lebiste, barrigudinho, guaru-guaru, peixe arco-íris, etc., originário da américa do Sul e Central, é a espécie de peixe de aquário mais popular no mundo.. São vivíparos, dóceis, onívoros e com apetite voraz para larvas de mosquitos.
Betta splendens: o peixe betta ou peixe de briga é um exelente predador de larvas de Aedes aegypti.
Trichogaster trichopterus: assim como a espécie anterior, Trichogaster tem a capacidade de retirar o oxigênio do ar atmosférico, através de um órgão denominado labirinto. São originário da Índia, Birmânia e Tailândia.

Para quem gosta de beleza e de aquários, e tem poder aquisitivo, os peixes ornamentais citados  poderão ser um prato cheio. Para os demais, nada mais fácil e prático de que os “barrigudinhos”, nativos, rústicos, vorazes e fáceis de serem obtidos quase a custo zero.

Com apenas quatro centímetros de comprimento, o Barrigudinho pode comer 100 larvas a cada dia, sem custos e sem riscos ambientais. Inclusive, é o carro-chefe de experimento da Embrapa Meio-Norte (projeto Dengoso), atualmente, para determinar o potencial real desta espécie no controle das larvas do Aedes, em Parnaíba. A ação do peixe Barrigudinho nessa guerra biológica é de extrema importância para o meio ambiente, segundo Luiz Carlos Guilherme (pesquisador do projeto). Ele lembra que a constante aplicação de veneno, no combate aos mosquitos, deixa os insetos resistentes, comprometendo a eficiência do trabalho e a boa qualidade de vida das pessoas.

O uso de peixes como estratégia de combate aos mosquitos mostra que é eficaz. O exemplo mais bem acabado é o do município de Uberlândia, no triângulo mineiro. Lá, o número de casos de dengue na população passou de 9,5 mil, em 2006, para apenas 50 até abril de 2008. As autoridades sanitárias, nesse período, deixaram de aplicar mais de 27 toneladas de veneno no município, por ter mudado para o uso dos peixes no combate às larvas.
Vivendo em córregos e em ambiente com água de pequena profundidade, o Barrigudinho é um peixe muito comum no Brasil, segundo o pesquisador. Conhecido também como Lebiste, Guaru e Guppy, ele é rústico e resiste a variações de ambiente, além de reproduzir rápido, o que facilita a disseminação e sobrevivência da espécie. Mais informações pelo e-mail guilherme@cpamn.embrapa.br ou através do telefone (86) 3315-1202 ramal 1225.
______________________________
PS: as duas fotos acima são do peixe conhecido como “barrigudinho”, em grupo e isoladamente.

Fontes consultadas:

PEIXES LARVÓFAGOS NO CONTROLE DO VETOR DA DENGUE

UTILIZAÇÃO DE PEIXES LARVÓFAGOS COMO PREDADORES DE LARVAS DE Aedes aegypti
Mytriam Thereza de Castro e Cristina Marques Lisbôa Lopes (GERZO-P)

Embrapa avalia o peixe Barrigudinho no controle da dengue

Links recomendados:
http://www.scielo.br/pdf/rsp/nahead/5930.pdf
http://pt.wikipedia.org/
http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/ipcv_013.pdf
http://www.ib.unicamp.br/profs/eco_aplicada/arquivos/artigos_tecnicos/C%20B%20de%20mosquitos%20eu+lu%202004.pdf
http://www.combateadengue.com.br/peixe-e-usado-em-combate-a-dengue-em-lagoas-de-campo-maior/#ixzz1JaoSE0WB

sexta-feira, 15 abril, 2011 Posted by | Comentário, Repassando... | , , , | 3 Comentários

Livre pensando juntos…

Para a minha surpresa, detectei um relatório da WordPress.com. sobre os blogues por ele abrigados, relativo a 2011. Considerei interessante, no que concerne ao nosso blogue livre pensar, as informações nele contidas e não resisti à tentação de compartilhá-las com vocês.

Tive surpresas agradáveis, como saber que tivemos acessos de muitos países. Agora entendo porque recebia tantos comentários spam em inglês: baixando o cacete como faço em relação ao imperialismo ianque, virei foco da galera revoltada (rsss). De qualquer forma, senti-me feliz por ter ultrapassado mais um ano de vida do blogue e de poder compartilhar com vocês, nossos parceiros reais neste mundo virtual, a análise do nosso desempenho em 2011. Que 2012 seja melhor ainda…

Leiam abaixo…
______________________________________

Este relatório é público

Para começar o novo ano, queremos partilhar consigo os dados da actividade do seu blog em 2011. Pode começar a ler!

Os números

O Museu do Louvre, em Paris, é visitado todos os anos por 8.5 milhões de pessoas. Este blog foi visitado cerca de 110.000 vezes em 2011. Se fosse o Louvre, eram precisos 5 dias para todas essas pessoas o visitarem.

Em 2011 foram publicados 368 novos artigos, aumentando o arquivo total para 1.364 artigos. Foram carregadas 93 imagens, ocupando um total de 13mb. É cerca de 2 imagens por semana.

O dia com mais tráfego foi 27 de novembro, com 779 visitas. O artigo mais popular nesse dia foi Salve, Timão!!!.

Artigos mais acessados em 2011:

Salve, Timão!!!

Copa do Mundo de 2014: os estádios estão bem nas fotos!

Dengue: que tal a beleza para combater o mosquito? (1/2)

Bicarbonato de sódio, alcalinização e a saúde humana

Violência doméstica…Contra os homens!

Cristãos x Muçulmanos: as Guerras Santas, Cruzadas e Jihad’s continuam!

Como o encontraram?

Os sites que mais o mencionaram em 2011 foram:

Alguns visitantes vieram à procura, sobretudo por corinthians, bicarbonato de sodium, desespero, lula, e crotalaria dengue

De onde vieram?

South America

  • 99,6% Brazil
  • 0,1% Argentina
  • 0,1% Paraguay
  • 0,1% Bolivia
  • 0,0% Colombia

Europa

  • 85,2% Portugal
  • 2,9% The United      Kingdom
  • 1,8% Italy
  • 1,7% Iceland
  • 1,6% France

North America

  • 76,3% The United      States
  • 11,7% Mexico
  • 7,9% Canada
  • 1,5% Costa Rica
  • 0,6% Guatemala

África

  • 59,3% Angola
  • 24,5% Mozambique
  • 8,8% Cape Verde
  • 3,4% Namibia
  • 1,5% Nigeria

Ásia

  • 51,9% Japan
  • 9,1% Hong Kong
  • 7,8% Indonesia
  • 6,5% Qatar
  • 5,2% Saudi Arabia

Oceania

  • 80,0% Australia
  • 20,0% New Zealand

                        //

Países de topo: Brazil, Portugal, e The United States

Quem foram?

O seu artigo mais comentado em 2011 foi Não estou só no mundo das idéias e ideais…

Os 5 comentadores mais ativos:

  • 1            mariceli campos 9 comentários
  • 2            Carlos 5 comentários
  • 3            Maria Fernandes 4 comentários
  • 4            gloria 4 comentários
  • 5            Mário SF Alves 3      comentários

Talvez queira segui-los ou enviar-lhes um agradecimento?

Atrações em 2011

Estes são os artigos mais visitados em 2011. Pode também consultar os artigos mais visitados na sua página de estatísticas.

Alguns dos seus artigos mais populares foram escritos antes de 2011. A sua escrita tem influência! Considere escrever mais sobre esses tópicos.

terça-feira, 17 janeiro, 2012 Posted by | Comentário, Repassando... | , , | 2 Comentários