Livre pensar é só pensar!

Para não desligar os neurônios

Camisinha também é cultura…

Colaboração enviada por Ricardo Henrique Miranda

Histórico

Na Ásia de antes do século XV, foi registrado o uso de preservativos de glande, ou seja, que cobriam apenas a cabeça do pênis. Na China, eram feitos de papel de seda oleado ou de instestinos de ovelha. Na Europa pós-medieval, o uso de preservativos contra a praga da sífilis começou a ser registrado, tendo os holandeses desenvolvido um preservativo de couro fino, que desta vez envolvia todo o pênis. E durante o Renascimento, surgiram os preservativos feitos de instestinos e bexiga de animais.

No século 19, o preservativo se espalhou pelo mundo, atingindo até as classes mais pobres. Objeções morais para os padrões da época dificultaram a popularização. Apesar disso, no final deste século, o preservativo era o meio mais popular de contracepção.

As guerras sempre foram meios de propagação intenso de DSTs, e não se sabia do papel do preservativo na prevenção destas. As taxas de DSTs na Guerra de Secessão Americana foram imensas entre os soldados. O Exército Alemão foi o 1º a distribuir preservativos entre seus soldados, e posteriormente, outros fizeram o mesmo, e realmente as taxas de DSTs entre os soldados despencaram.

A primeiro preservativo de borracha foi inventado em 1855. Em 1912, foi inventada uma técnica que consistia em mergulhar um molde de vidro numa suspensão de borracha crua. Para manter a borracha líquida, era necessária a mistura com gasolina ou benzeno, o que tornava o preservativo inflamável (já pensou?). Em 1920, foi inventado o látex (borracha em suspensão aquosa), o que tornou o preservativo mais fino e resistente, e não inflamável. E era bem mais barato que o preservativo de pele (intestino).

Na década de 60, com o advento da pílula, o preservativo perdeu o lugar de método contraceptivo mais usado. Com o advento da AIDS na década de 80, o uso do preservativo voltou a crescer. Como novidades mais modernas, temos o uso do poliuretano, diversos tipos e espessuras (mais finos, mais grossos, com espermicidas), a camisinha feminina e outras como camisinhas temáticas, comestíveis e aromatizadas. Continue lendo

Anúncios

quarta-feira, 30 julho, 2008 Posted by | Repassando... | , , , | Deixe um comentário