Livre pensar é só pensar!

Para não desligar os neurônios

Especuladores escorregam ladeira abaixo…

23 de abril de 2012 às 9:26

Stephen Kanitz: Em menos de 15 meses, Dilma implanta a sua tese

do blog de Stephen Kanitz

Em 2007 na Veja,  defendi a Dilma no seu projeto de abaixar os juros que ninguém achava que era possível, até ontem.

“Ela precisará de todo o apoio dos engenheiros, administradores, contadores, advogados, médicos que querem ver o custo da “renda fixa” cair, obrigando os investidores a virar empreendedores e a assumir o risco da “renda variável”.

Ela já tem o meu total apoio, agora só falta o seu”.

Dilma baixou o Custo de Capital das empresas brasileiras para 2% ano, algo que noticiou.

“Se o estado paga 13% ao ano de “renda fixa” para “rolar” a sua dívida, nenhum projeto empresarial com retorno abaixo de 13%, 14% ou talvez até 19% será retirado das gavetas, devido ao risco do negócio.”

“Nenhum administrador ou empreendedor vai assumir o risco de quebrar, o risco de perder tudo, o risco de processos trabalhistas e de consumidores, se o estado oferece 13% ao ano, e sem risco.”

Em vez de discutir o que escrevi acima, todo mundo está discutindo que os Spreads dos Bancos continuam elevados, que a caderneta é a opção.

O que ninguém se deu conta é que temos agora R$ 1 trilhão de Órfãos dos Juros Nominais dos Economistas do Estado, que não mais receberão os polpudos juros que os permitiam fazer nada.

Com somente 2%, vão mudar de ideia.

Vão ter que agora fazer algo, vão ter que investir em fundos de ações, fundos de private equity, e concorrer com os Bancos.

Se os Bancos não quiserem reduzir os Spreads, os fundos de private equity irão emprestar no seu lugar, com muito mais cuidado, governância e ajuda administrativa. Bancos nem sabem mais fazer isto.

Escrevi outros posts sobre a Tese da Dilma, que agora valem a pena reler.

http://blog.kanitz.com.br/2010/11/a-tese-da-dilma-e-futuro-do-brasil.html

http://blog.kanitz.com.br/2010/11/a-tese-da-dilma-e-a-miriam-leit%C3%A3o-.html

http://blog.kanitz.com.br/2010/11/a-tese-da-dilma-ii.html

Nem eu, honestamente, acreditei que a Dilma seria tão rápida e que isto ocorreria somente em 2013 ou 2014.

Um ano antes do planejado, a reeleição da Dilma está praticamente garantida, se o que ocorreu ontem for noticiado.

Só falta os que querem ver este país crescer divulgarem o significado de tudo isto para o desenvolvimento das empresas brasileiras, algo que faltou fazer.

Se ninguém perceber que o que acaba de ocorrer, o que a Dilma disse há mais de 5 anos que faria, se ninguém perceber que tudo isto aconteceu e não aproveitar esta janela de oportunidade, se todo mundo ficar falando de caderneta de poupança como opção e ficar culpando os Bancos que no mundo inteiro estão morrendo de velhos, vamos novamente morrer na praia.

Divulguem isto, minha gente, a China fez isto em 1986. Estive lá e vi com meus olhos. Por isto, tenho a segurança de dizer o que estou dizendo agora. O Custo do Capital das Empresas é a variável crítica deste país, não o Dólar ou a Taxa de Câmbio.

Como só tenho 19.000 seguidores no Blog, sei que vamos morrer na praia, sei que vamos jogar mais um bilhete premiado, como tantas vezes fizemos. Não entendo porque tão poucos seguem um blog que realmente informa com antecedência o que vai acontecer neste país. Deve ser minha péssima redação.

Esta é a nossa última chance, acreditem em mim. Não desperdissem esta última oportunidade.

******

A Tese de Dilma – O Que Falta Para Crescermos

Quem não leu o artigo da Veja de 2007 na época, defendendo uma tese da Dilma apresentada numa entrevista na Globo, resumo aqui as frases mais importantes.

Se o estado paga 13% ao ano de “renda fixa” para “rolar” a sua dívida, nenhum projeto empresarial com retorno abaixo de 13%, 14% ou talvez até 19% será retirado das gavetas, devido ao risco do negócio.

Nenhum administrador ou empreendedor vai assumir o risco de quebrar, o risco de perder tudo, o risco de processos trabalhistas e de consumidores, se o estado oferece 13% ao ano, e sem risco.

Por isso, no Brasil, só desengavetamos projetos que rendam no mínimo 19% ao ano, projetos com “elevado valor adicionado”, projetos que exigem subsídios e renúncias fiscais, projetos com empréstimos subsidiados pelo BNDES, com “zonas francas fiscais”, que requerem câmbio favorável e elevados investimentos em “ciência e tecnologia”.

Essas foram as grandes bandeiras dos nossos empresários “desenvolvimentistas” e de seus economistas, começando com Celso Furtado.

Eu evito investir em “renda fixa” por uma questão ética.

Não me sinto confortável em ganhar sem fazer nada, especialmente à custa do povo brasileiro.

Sempre fiz questão de investir em ações gerando crescimento e empregos, correndo o risco da volatilidade da “renda variável”, o que me faz dormir tranquilo quando recebo meu merecido dividendo.

Lula afirmou em seu discurso de posse que “nenhum país cresce se o custo do capital for alto”. Frase que o jornalismo econômico obviamente ignorou e o jornalismo administrativo, inexistente neste país, não noticiou.

Ela precisará de todo o apoio dos engenheiros, administradores, contadores, advogados, médicos que querem ver o custo da “renda fixa” cair, obrigando os investidores a virar empreendedores e a assumir o risco da “renda variável”.

Ela já tem o meu total apoio, agora só falta o seu.  2007.

Leia também:

Paulo Nogueira Batista: Brasil tem munição contra a crise
________________________________
PS: a imagem acima foi inserida por este blogueiro.

Anúncios

segunda-feira, 23 abril, 2012 Posted by | Repassando... | , | Deixe um comentário

Sobre desastres eco-políticos…

segunda-feira, 23 abril, 2012 Posted by | Repassando... | , , | Deixe um comentário

Dilma x Bancos privados: não conseguiram manter o cinismo, né, agiotas?

Postado por Fernando Brito

A notícia, hoje, que Bradesco e Itaú seguiram os passos do HSBC e decretaram um rebaixamento geral dos juros cobrados de pessoas físicas e jurídicas mostra o quanto foi bem sucedida a decisão do governo de obrigar a queda dos juros usando os bancos públicos como ferramenta.

Depois de tentar fazer chantagem com o Governo e obter isenção dos já pouquíssimos impostos que pagam, os bancos privados saíram de orelhas murchas.

Passaram uma semana vendo seus potenciais clientes e clientes migrarem para o Banco do Brasil e para a Caixa, que baixaram os juros.

Agora, esqueceram todos os sofisticados cálculos com que justificavam a política extorsionista que praticavam e seguiram a mais básica lei de mercado: a de sobreviver à concorrência.

Porque estavam perdendo negócios e clientes a rodo.

O BB aumentou em 45% o volume de recursos emprestados, na média dos últimos seis dias, no crédito pessoal. Algumas linhas tiveram aumento, na média, superior a 100%.Na média, porque comparando o dia de ontem com o dia antes da baixa de juros, em algumas linhas o valor dos desembolsos quintuplicou, segundo revelou hoje a comentarista  Mara Luquet, da CBN.

A Caixa também registrou aumento expressivo nos primeiros dias, não só para pessoas físicas, mas para capital de giro para pequenas e médias empresas: a média diária de contratações  saiu de R$ 5,3 milhões na primeira semana de abril para R$ 39,2 milhões  e já foram contratados R$ 196 milhões na linha de crédito Giro Caixa  Fácil para as Micro e Pequenas Empresas, uma evolução de 891% em relação  ao mesmo período de março.

O número de abertura de novas contas no BB, segundo ela, dobrou . O que dá para imaginar o que isso doeu na banca.

Aliás, no comentário, é comovente o esforço do apresentador Carlos Alberto Sardemberg em defender os bancos privados.

“Vai cair a rentabilidade”, diz ele. E Mara Luquet responde: “é, mas vai subir o volume”.

E, no final, o que realmente dói na turma do “Brasil da Roda Presa”: “a economia vai ter um aquecimento”.

Que pena, não é?

quinta-feira, 19 abril, 2012 Posted by | Repassando... | , | Deixe um comentário

Lei Seca: a demagogia legal…

16 de abril de 2012 às 12:45

Gerson Carneiro: Qual a eficácia da Lei Seca?

por Gerson Carneiro, para o Viomundo

A Câmara dos Deputados aprovou, no último dia 11, o projeto da nova Lei Seca que dobra o valor da multa aplicada aos motoristas flagrados sobre o efeito de álcool. Pela proposta, a multa passa de R$ 957,70 para R$ 1.915,40. Em caso de reincidência num período de 12 meses o valor passa a R$ 3.830,80.

Sim, essa medida efetivamente será capaz de reduzir de fato as mortes estúpidas causadas por motoristas embriagados, em muitos casos em carros possantes cujo valor do IPVA supera o valor máximo da multa?

Na minha opinião, não.

Trata-se de uma medida precipitada pois, decidida em resposta à recente decisão do Superior Tribunal de Justiça que absolveu um motorista autuado apenas com o depoimento de testemunhas.

Vou ao boteco. Após beber, dirijo meu automóvel de volta para casa.

Assim também pedreiros que após longa jornada na obra não chegam a suas casas sem antes tomar uma talagada de cachaça.

E também aquele que, em um domingo, comparece, após ser intimado, à casa da Nona para saborear aquela suculenta e prazerosa macarronada. E quase certo degusta algumas taças de vinho.

Chegamos de volta em nossas respectivas casas, não provocamos acidente, não machucamos e não matamos ninguém.

Qual o crime que cometemos?

Pois bem, aquele que, embriagado ao volante, causa acidente e machuca ou mata alguém, continua com a possibilidade de pagar a multa e a fiança e ir para casa dormir, aguardar e responder o processo em liberdade.

Qual é a efetividade da Lei Seca se o Código Penal garante liberdade ao motorista infrator?

E o motorista nas condições acima que descrevi será punido por suposição de crime. Ou seja, punido por crime que não cometeu.

Resultado, a Lei Seca serve apenas para arrecadação de dinheiro.

Efetivamente a Lei Seca não pune, além da multa, quem de fato embriagado causa acidente no trânsito.

Quem está matando no trânsito com os carrões de 300 mil reais, ou com “latas-velhas”, continuará matando, o valor da multa não os impedirá.

É uma lei inócua para quem comete o crime, mas que causa muito mais prejuízo a quem não o comete.

É um projeto de lei equivocado. Decidido em função da não efetiva punição de quem embriagado mata no trânsito, pois este tem, como já disse, a garantia do Código Penal de que permanecerá em liberdade. E ao final efetivamente não reduzirá as mortes estúpidas porque multa, quem tem dinheiro paga, quem não tem põe na conta.

Por isso coloco em dúvida a habilitação de quem faz e aprova leis para os outros. Estão mesmo habilitados a legislar sobre qualquer tema que lá é proposto?

Tomados pela embriaguez de Poder eles acham que sim.
______________________________
PS: a imagem acima foi inserida por este blogueiro.

segunda-feira, 16 abril, 2012 Posted by | Repassando... | | 1 Comentário

E neste caso, tem diferença?

domingo, 15 abril, 2012 Posted by | Repassando... | , , | Deixe um comentário

O samba da camuflagem (ou da deslavada cara-de-pau)…

13 Apr
Via tijolaço.com.br

A mídia está de gringo no samba

– Sabe por que americano samba com um dedinho levantado em cada mão?

– Não, por que?

– Pra que ninguém lhe olhe os pés, desajeitados…

A brincadeira carioca tem tudo a ver com o comportamento da mídia diante da CPI sobre Carlinhos Cachoeira.

Agora,dizem os jornais, é o Governo e a própria presidenta Dilma quem estariam temerosos de uma investigação. Só falta dizer que o Lula também.

Pura cortina de fumaça.

Pode haver até algum governista preocupado, por razões próprias ou por ser adepto da política de tratar a política como – a expressão é do Brizola – “um clube ameno”,  onde o importante é o Vossa Excelência para cá e para lá e empurrando os dias de poder, algum poder, todos os dias, enquanto durar.

Se a Presidenta, acaso, deu uma “freada de arrumação” na participação de ministros seus na articulação da CPI, fez muito bem. A CPI não é do Executivo, não é “chapa-branca”. E ela é a comandante política do Governo, não os ministros.

Dispensa, portanto, a prudência “muy amiga” que lhe sugere a mídia.

Da mesma forma, é assim a “preocupação” dos jornalões com a possibilidade de que a CPI do Cachoeira “mele” o julgamento do dito “mensalão”.

Porque melaria, se uma coisa, como sustenta Merval Pereira isso não passa de uma  “tentativa desesperada de criar um fato político que possa influenciar a decisão do Supremo sobre o mensalão”?

Se não há ligação entre uma coisa e outra, porque isso se misturaria?

Mas há, ou pelo menos há fortes indícios de que há.

É uma gravação ordenada por Carlos Cachoeira que deflagrou aquele processo.

E essa gravação, segundo um ex-integrante do grupo do bicheiro, foi feita e divulgada com o obejtivo de “vingar” o veto de José Dirceu à nomeação de um homem do esquema Cachoeira – o senador Demóstenes – para o controle de um setor importante para o bicheiro, nada menos que a Secretaria Nacional de Justiça.

Além disso, existem provas materiais da ligação próxima, íntima, entre Cachoeira e Policarpo Júnior, editor do centro daquela e de quase todas as denúncias que se fizeram contra o Governo Lula: a máquina de demolir reputações chamada Veja.

De novo, sirvo-me de uma das expressões do velho Brizola: um dos chefes do “Comando Marrom”.

Que, aliás, só é indulgente quando os escândalos atingem a direita, como no caso Demóstenes e no da “Privataria Tucana”.

Por isso, a nossa mídia está como o gringo no samba: “olhem o meu dedinho apontado para cima, não vejam os meus pés desengonçados”.

Vai apelar para tudo o que puder desviar o olhar de suas vergonhas e distribuir “conselhos prudentes” para que  não se mexa demasiado no assunto, até a pretexto de preservar o Governo.

Anotem aí: falta pouco, muito pouco, quase nada, nada mesmo para que se atribua a Lula e a José Dirceu o escândalo Cachoeira.

Esta que o porta-voz da direita midiática, Merval Pereira,  chama de “tática escancarada pelos blogueiros governistas” e que, segundo ele, “parece ter se tornado um verdadeiro tiro no pé” é, sim, de fato, um tiro no pé.

No pé enlameado de uma mídia que, proclamando-se moralizadora, chafurdou nas imundícies de um bandido para “cumprir” seu objetivo de desaestabilizar governos progressistas.

Uma missão cívica, que o indigitado Cachoeira resumiu  soberbamente:

– Limpando esse Brasil, rapaz, fazendo um bem do caralho pro Brasil,  essa  corrupção aí. Quantos (furos de reportagem) já foram, rapaz? E  tudo via Policarpo.”

domingo, 15 abril, 2012 Posted by | Repassando... | , , , | Deixe um comentário

Em dia de cachorro louco, cuidado com eles…

sexta-feira, 13 abril, 2012 Posted by | Repassando... | , , , | Deixe um comentário

Quase morto, ainda vivo, renascendo devagarinho…

Ha´ pouco recebi email do meu filho Ricardo perguntando se ainda estou vivo. Nem eu sei, amigos. Ha´ quinze dias estou prostrado com uma virose (aquela doença que a ignorancia dos me´dicos ainda não diagnosticam adequadamente), um problema denta´rio se´rio e de dificil atendimento no interior amazonico, ale´m do trauma de estar aproveitando esta sequela geral e irrestrita para deixar de fumar. Voces hão de convir que e´ muita pressão para um blogueiro so´… Como se diz no Nordeste, to escapando pelo pau-do-canto…A Oia´ anda toda mofina, de olhar comprido, com saudades dos passeios matutinos e dos papos crepusculares nos banquinhos do lago. As frutas estragam-se no chão, por falta de quem colher. Os quadros inacabados penduram-se pelos cavaletes e paredes, empalados pela minha inercia. E o blogue então… Ainda bem que os leitores continuaram a acessar as postagens existentes e a tecer comentarios, mantendo-se nos mesmos niveis anteriores de visitação.

Obrigado amigos, pela compreensão e daqui a pouco estarei de volta. Me aguardem…
________________________________________
PS: como que para dificultar o meu retorno, o teclado resolveu não aceitar mais as acentuações convencionais, gerando alguns erros este´ticos e gramaticais no texto. Poode? Sera´ terrorismo demotucano ou retaliações do Titio?

quinta-feira, 12 abril, 2012 Posted by | Comentário | , , | Deixe um comentário